(Meu reino é um prado morto)

A minha mão não cobre o mundo todo,
Mas a sombra assusta os passageiros
Viajantes que no meu albergue entram,
Venho de candeio na mão… bruxuleando,

Apetece-me também eu partir quando chove
Mas dita o destino,-de que não sou dono-
Criar bem dentro uma espécie de abismo
Tutelado por uma outra dimensão de mim próprio,

Sonho de que sou eu mesmo a quem
Obedece a trovoada e o mar oceano
Revolto, acordo com a serenidade de um seixo
Que tem qualquer outra pessoa sem ter rosto,

Igual a eles em tudo e até a morte receio,
Sobretudo eu, de que serve ser do sonho
Autoridade ou rei príncipe se não mando
Sequer nos vencidos, tanto quanto eu sou

Quando acordo, terreno e ilucido, viajando
De noite sou rei dos bruxos, acordado sou
Insignificante baixo, seixo cego, sargo morto
Assim como tu, que não és nada nem ninguém

E nem eu encubro e luz dum todo, esta ou outra,
A ciência ou a metafísica, Venho de candeia na mão
Como se os meus pensamentos fossem
Realmente vitais p’ras dimensões que tem a Terra

No universo, às vezes deixo-me possuír
P’lo logro, outro modo de ser quem sou
E sonho que posso içar palavras em tribuna
Alta, adaptada a mim mesmo e acender a vela,

Como se tivesse atravessado eu um braseiro
Agnóstico e místico, sem rosto pra que me esqueçam,
Apenas sussurro e arvoredo, venho de candeio na mão,
Cedo é e a paisagem o desenho geométrico mais antigo

Do mundo, eu pra o abrir, cego descubro que
(meu reino é um prado morto)

Joel Matos (01/2018)
http://joel-matos.blogspot.com

Submited by

Jueves, Febrero 1, 2018 - 09:59

Poesia :

Su voto: Nada (1 vote)

Joel

Imagen de Joel
Conectado
Título: Membro
Last seen: Hace 1 hora 28 mins
Integró: 12/20/2009
Posts:
Points: 40692

Comentarios

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of Joel

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Ministério da Poesia/General No bater de duas asas​ ... 13 746 10/16/2018 - 09:34 Portuguese
Poesia/General “From above to below” 13 503 10/16/2018 - 09:33 Portuguese
Ministério da Poesia/General Conto … 13 311 10/16/2018 - 09:32 Portuguese
Ministério da Poesia/General “From above to below” 13 713 10/16/2018 - 09:31 Portuguese
Ministério da Poesia/General JOEL MATOS 14 1.431 10/16/2018 - 09:31 Portuguese
Ministério da Poesia/General Antes de tud’o mais ... 13 572 10/16/2018 - 09:30 Portuguese
Ministério da Poesia/General "Sinto" 13 969 10/16/2018 - 09:29 Portuguese
Ministério da Poesia/General "Semper aeternum" 13 789 10/16/2018 - 09:28 Portuguese
Ministério da Poesia/General Ao principio ... 14 721 10/16/2018 - 09:27 Portuguese
Ministério da Poesia/General Em geral ... 13 711 10/16/2018 - 09:26 Portuguese
Poesia/General A Confissão ( A Neruda) 13 1.737 10/16/2018 - 08:54 Portuguese
Poesia/General “Entre duas aspas” 13 3.186 10/16/2018 - 08:53 Portuguese
Poesia/General Como paisagem ao morrer o dia, o voar do ganso… 13 444 10/16/2018 - 08:52 Portuguese
Poesia/General A verdade é Tenente ...Tio Lawrence. 13 3.995 10/16/2018 - 08:51 Portuguese
Ministério da Poesia/General Tenho sonhado desperto … 12 525 10/16/2018 - 08:51 Portuguese
Ministério da Poesia/General Subtil …. 13 1.469 10/16/2018 - 08:49 Portuguese
Ministério da Poesia/General Pena ser levado a sério e ainda... 13 638 10/13/2018 - 19:12 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo Bonfim 10 1.706 08/08/2018 - 16:37 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo Mero 10 1.499 08/08/2018 - 16:35 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo furioso Inverno 10 1.939 08/08/2018 - 16:34 Portuguese
Ministério da Poesia/Gótico d'azur 10 2.178 08/08/2018 - 16:33 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo sete luas 10 1.514 08/08/2018 - 16:31 Portuguese
Ministério da Poesia/Intervención Barc'azul 10 1.477 08/08/2018 - 16:30 Portuguese
Ministério da Poesia/General Puder-eu-o-ter 10 458 08/07/2018 - 16:44 Portuguese
Poesia/General Toda leveza é possível enquanto dura o voo ... 10 280 08/07/2018 - 16:37 Portuguese