O Gebo e o Sonho.

Quero morrer de vez e interpretado pra sempre,
Não terei na cartola o axioma do sonho
Nem tirarei qualquer máxima à pena,
Mas morar de mim fora, d’ora
Em diante e apenas, sim, tenho,

Tenho paladar do infinito ao etéreo, insólito
O lugar em que mais sinto imenso, indulto
No ser, é no ser apenso do ser Ser, que invicto
Será, ou talvez seja mau pensar, pensei sendo
Advento meu doutro pressentir desmedido dom.

Como pensei, o facto de escrever e a facilidade
Com que vulgarizo a opinião, fazem duma saudável
Imaginação, uma censurável ofensa do meu jargão
Grosso, ao ser que suspenso, no coração crivo, sirvo
Do apocalipse numa velha batedeira de bolos,

Instigo e contradigo por covardia, como fosse eu
Aliado a um deus adenda, pra me parecer ninguém
Ou Génio desempregado da Albina lâmpada.
Tanto do que já senti, sonhei-o sem mãos, tantos
Sonhos irmãos tive em criança, sabidos ,espertos,

Eram meus, sem os querer por horto de mosteiro.
Quando morrer de vez, para sempre interpretado,
Quero olhar particularmente a realidade,
Nítida e peculiar da matéria que me escravizou,
Do mesmo modo que situo um gebo, na sombra da rua.

Joel Matos (11/2014)
http://namastibetpoems.blogspot.com

Submited by

Viernes, Febrero 23, 2018 - 18:46

Ministério da Poesia :

Su voto: Nada Promedio: 5 (1 vote)

Joel

Imagen de Joel
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 2 semanas 22 horas
Integró: 12/20/2009
Posts:
Points: 40650

Comentarios

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of Joel

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Poesia/General - Papoila é nome de guerra - 359 28.967 04/09/2019 - 11:56 Portuguese
Poesia/General Como terra me quero, descalço e baixo ... 480 764 04/09/2019 - 11:52 Portuguese
Poesia/General O erro de Descartes 479 900 04/09/2019 - 11:49 Portuguese
Ministério da Poesia/General V de Vitória - Revolução - 537 1.500 04/03/2019 - 16:43 Portuguese
Ministério da Poesia/General Minha alma é um lego 506 1.432 03/30/2019 - 17:19 Portuguese
Ministério da Poesia/General Eu sou tudo aquilo por onde me perco… 420 1.299 03/30/2019 - 17:17 Portuguese
Poesia/General (1820) 305 1.391 03/30/2019 - 17:14 Portuguese
Ministério da Poesia/General "Je ne dis rien, tu m'écoutes" 468 1.397 03/30/2019 - 17:13 Portuguese
Ministério da Poesia/General Cansei. 346 1.651 03/30/2019 - 17:11 Portuguese
Ministério da Poesia/General Temo as sombras e o burburinho … 352 907 03/30/2019 - 17:08 Portuguese
Ministério da Poesia/General Despido de tudo quanto sou... 241 1.533 03/30/2019 - 17:03 Portuguese
Ministério da Poesia/General O mar que não tem a Lua ... 288 1.324 03/30/2019 - 17:03 Portuguese
Poesia/General Ou eu me não chame de Antônio ... 543 1.008 03/30/2019 - 17:01 Portuguese
Poesia/General Sobre conceitos 436 3.789 03/30/2019 - 16:59 Portuguese
Ministério da Poesia/General Sem casas não haveriam ruas ... 343 871 03/30/2019 - 16:58 Portuguese
Ministério da Poesia/General Que será da nossa viúva sombra, 368 965 03/30/2019 - 16:56 Portuguese
Poesia/General Sonho d'Midas ... 351 1.446 03/30/2019 - 16:54 Portuguese
Ministério da Poesia/General Gostaria de ter um Cadillac novo, 329 1.387 03/30/2019 - 16:52 Portuguese
Poesia/General Cego debruçado em via-estreita 290 597 03/30/2019 - 13:27 Portuguese
Ministério da Poesia/General Botto 261 1.541 03/30/2019 - 13:21 Portuguese
Ministério da Poesia/General Difícil é sair de mim, eu mesmo... 557 1.051 03/30/2019 - 13:19 Portuguese
Ministério da Poesia/General O poema d'hoje não é diferente ... 357 979 03/30/2019 - 13:17 Portuguese
Ministério da Poesia/General Todos os nomes que te dou, são meus ... 284 1.333 03/30/2019 - 13:15 Portuguese
Ministério da Poesia/General Pax pristina 176 1.410 03/30/2019 - 12:17 Portuguese
Ministério da Poesia/General Caminho, por não ter fé ... 369 873 03/30/2019 - 12:16 Portuguese