O Gebo e o Sonho.

Quero morrer de vez e interpretado pra sempre,
Não terei na cartola o axioma do sonho
Nem tirarei qualquer máxima à pena,
Mas morar de mim fora, d’ora
Em diante e apenas, sim, tenho,

Tenho paladar do infinito ao etéreo, insólito
O lugar em que mais sinto imenso, indulto
No ser, é no ser apenso do ser Ser, que invicto
Será, ou talvez seja mau pensar, pensei sendo
Advento meu doutro pressentir desmedido dom.

Como pensei, o facto de escrever e a facilidade
Com que vulgarizo a opinião, fazem duma saudável
Imaginação, uma censurável ofensa do meu jargão
Grosso, ao ser que suspenso, no coração crivo, sirvo
Do apocalipse numa velha batedeira de bolos,

Instigo e contradigo por covardia, como fosse eu
Aliado a um deus adenda, pra me parecer ninguém
Ou Génio desempregado da Albina lâmpada.
Tanto do que já senti, sonhei-o sem mãos, tantos
Sonhos irmãos tive em criança, sabidos ,espertos,

Eram meus, sem os querer por horto de mosteiro.
Quando morrer de vez, para sempre interpretado,
Quero olhar particularmente a realidade,
Nítida e peculiar da matéria que me escravizou,
Do mesmo modo que situo um gebo, na sombra da rua.

Joel Matos (11/2014)
http://namastibetpoems.blogspot.com

Submited by

Viernes, Febrero 23, 2018 - 17:46

Ministério da Poesia :

Su voto: Nada Promedio: 5 (1 vote)

Joel

Imagen de Joel
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 1 semana 22 horas
Integró: 12/20/2009
Posts:
Points: 40650

Comentarios

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of Joel

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Ministério da Poesia/General O azedume no vinagre ou rumo a Centauro-A 209 951 03/30/2019 - 11:14 Portuguese
Poesia/General o sabor da terra 296 644 03/30/2019 - 11:12 Portuguese
Poesia/General Inté'que poema se chame de Eu ... 243 867 03/30/2019 - 11:11 Portuguese
Ministério da Poesia/General Igual a toda'gente... 287 1.011 03/30/2019 - 11:10 Portuguese
Ministério da Poesia/General À excelência ! 160 1.213 03/30/2019 - 11:08 Portuguese
Ministério da Poesia/General Contraditório, só eu sou... 181 664 03/30/2019 - 11:07 Portuguese
Ministério da Poesia/General Cuido que não sei, 172 1.024 03/30/2019 - 11:05 Portuguese
Ministério da Poesia/General “Semper aeternum” 211 870 03/30/2019 - 11:04 Portuguese
Ministério da Poesia/General Sei porque vejo, 222 1.330 03/30/2019 - 11:04 Portuguese
Ministério da Poesia/General O poço do Oráculo… 30 160 12/02/2018 - 18:39 Portuguese
Ministério da Poesia/Intervención (Os Míseros não Têm Mando) 17 1.123 12/02/2018 - 18:34 Portuguese
Ministério da Poesia/General Canto ao dia, pra que à noite não… 19 139 12/02/2018 - 18:13 Portuguese
Poesia/General (Meu reino é um prado morto) 24 611 12/02/2018 - 18:04 Portuguese
Ministério da Poesia/General Canção Cansei 24 437 12/02/2018 - 18:02 Portuguese
Poesia/General Tenho um conto pra contar 16 673 12/02/2018 - 18:00 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo não sei quem sou 21 890 12/02/2018 - 17:58 Portuguese
Ministério da Poesia/General Prazer da busca… 17 87 12/02/2018 - 17:56 Portuguese
Ministério da Poesia/General Com a mesa encostada aos lábios… 12 243 12/02/2018 - 17:47 Portuguese
Ministério da Poesia/General Porque Poema és Tu 22 112 12/02/2018 - 17:47 Portuguese
Poesia/General Nêsperas do meu encanto… 16 407 12/02/2018 - 17:45 Portuguese
Ministério da Poesia/General Natureza viva 13 242 12/02/2018 - 17:44 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo aresta ou 10 1.857 11/28/2018 - 16:38 Portuguese
Ministério da Poesia/Dedicada teresa dia bom 12 1.068 11/28/2018 - 16:35 Portuguese
Ministério da Poesia/Gótico ragon 10 1.741 11/28/2018 - 16:33 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo par 10 1.529 11/28/2018 - 16:27 Portuguese