CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Absoluta Mente Nada

Eu não tenho absolutamente nada
Tenho somente o facto linguistico que faz juz a palavra vazio.
Tudo que senti já partiu.
E restei eu
Resultado de uma baralhada de equações entrelaçadas
Onde no meio de palhaçadas
Casaram-se verbos
E pariram-se adjectivos
Eu não sou nada
Sou somente o nome que me deram
Vulgar como um botão
Andei na boca de alguma gente
Até encontrar a solidão.
E apaixonei-me
Apaixonei-me pela ausencia verbal
Por não ter que nada
Por a minha vida estar cansada
E eu como observador
Concordar.
Paga-se um preço
Por ocupar este lugar
Mas é aqui que eu quero estar...
A observar.....
A acabar.
 

Carlos Cabecinha

Submited by

segunda-feira, fevereiro 21, 2011 - 11:59

Ministério da Poesia :

No votes yet

Outro

imagem de Outro
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 anos 11 semanas
Membro desde: 03/02/2010
Conteúdos:
Pontos: 884

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Outro

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Principio de Poema Aberto a Todos Os Poetas 4 373 04/01/2010 - 17:15 Português
Prosas/Pensamentos Poesia Neurocirurgica 1 756 03/31/2010 - 18:47 Português
Poesia/Amor Amo-te Mais ou Menos 3 584 03/30/2010 - 19:26 Português
Poesia/Geral A Cortina 1 755 03/04/2010 - 22:50 Português
Poesia/Geral A Cortina 2 437 03/04/2010 - 21:11 Português
Poesia/Comédia Sopa de Queixumes 4 526 03/04/2010 - 12:35 Português
Poesia/Poetrix O Empréstimo 5 757 03/02/2010 - 22:29 Português
Poesia/Tristeza O Nó 3 420 03/02/2010 - 14:30 Português