CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Receio ser eu mesmo nada.

(Receio ser eu mesmo, nada)

Quem sucumbiu não fui eu,
A cento e um alvor e nada,
Nada tenho que não seja
A lua parda, parada, presa

A cem mais uma almas
Frágeis, de vidro que trago
Penduradas, místico eu
Que me ocupo da dor d’mais

E morro todas as madrugadas,
Treino o finito e o perecível
Que é o corpo sem asas,
Cubro-me de pássaros e vidros

Frágeis quanto as almas
Que trago ao cinto penduradas,
Nas pernas presa a lua parda
Diz-me adeus, minto; me chama

No escuro da noite, tão clara
Quanto o brilho das minhas almas
Mil e uma que trago na cintura,
Tão finitas frágeis e sem asas,

Místico eu de madrugada e à noite
O luar meu culto, ramos palácios
Onde ressuscito sereno, sem fim,
Quem sucumbiu não fui eu,

Mas o receio de ser eu mesmo
Nada.

Joel Matos (09/2017)
http://joel-matos.blogspot.com

Submited by

quinta-feira, fevereiro 8, 2018 - 09:08

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 14 horas 27 minutos
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 40718

Comentários

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

-

-

imagem de Joel

-

-

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Gótico o corvo (poe) tradução livre 0 1.104 11/19/2010 - 18:23 Português
Ministério da Poesia/Soneto Morcegario 0 2.829 11/19/2010 - 18:24 Português
Ministério da Poesia/Desilusão assim assim... 0 2.652 11/19/2010 - 18:26 Português
Ministério da Poesia/Desilusão barbearia 0 2.673 11/19/2010 - 18:27 Português
Poesia/Geral O último poema 0 462 12/16/2010 - 20:52 Português
Poesia/Intervenção Canção do pão 0 625 12/16/2010 - 20:54 Português
Poesia/Geral Lilith 0 680 12/16/2010 - 20:59 Português
Poesia/Fantasia Navio fantasma 0 1.400 12/16/2010 - 21:00 Português
Poesia/Geral Pouco m'importa 0 665 12/16/2010 - 21:03 Português
Poesia/Geral Viagem sem retorno 0 654 12/16/2010 - 21:05 Português
Poesia/Geral Cheiro a beijo 0 824 12/16/2010 - 21:12 Português
Poesia/Fantasia O Licórnio 0 1.150 12/16/2010 - 21:16 Português
Poesia/Dedicado Um pouco de Tu 0 961 12/16/2010 - 21:17 Português
Poesia/Fantasia 0 1.009 12/16/2010 - 21:20 Português
Poesia/Geral Fuga do dia 0 620 12/16/2010 - 21:21 Português
Poesia/Geral Cabra Cega 0 984 12/16/2010 - 21:23 Português
Poesia/Geral Sou D'tod'o TaMaNhO 0 1.065 12/16/2010 - 21:25 Português
Poesia/Geral Muda esperança 0 989 12/16/2010 - 21:27 Português
Poesia/Geral Y GREGO 0 1.247 12/16/2010 - 21:28 Português
Poesia/Geral Palavras Meias 0 1.102 12/16/2010 - 21:30 Português
Poesia/Geral Cordéis ,Seis 0 1.101 12/16/2010 - 21:40 Português
Poesia/Geral O fim dos tempos 0 1.061 12/16/2010 - 21:45 Português
Poesia/Geral Quem Sonhou o Amor 0 1.308 12/16/2010 - 21:47 Português
Poesia/Intervenção Voto em Branco 0 978 12/16/2010 - 21:49 Português
Poesia/Geral Falta de definição 0 660 12/16/2010 - 21:50 Português