CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

ÚLTIMOS SUSPIROS

Minha alma pranteia num cosmos doentio
Ultrajada pela desfaçatez dos homens!
Sobreveio pela superfície vírus que consomem
As consciências e, as inconsciências, sem estio,
Se digladiam à mercê de politicalhas podres
Que enlameiam dignidades humanas com dissabores

Mefíticos os quais enojam a vida sem precedentes...
O instante requer equilíbrio, mas apenas picuinhas
Peçonhentas se alavancam em forma de piadinhas
Em que joio é trigo, trigo é joio dentro das mentes
Que, egoístas, não lutam por um ideal comum,
Contudo produzem escândalos sem sentido algum.

O planeta está enfermo! É hora de metamorfose...
Deixem-se de lado as economias e as ganâncias,
Enterrem-se as reflexões políticas, as circunstâncias
São imprevisíveis para o amanhã... Intensa escoliose
Desconhecida invade as nações e a falta de bom senso
Há de consumir, sem piedade, a todos, sem incenso...

Vivos, os homens podem erguer um novo mundo!
Mortos, dissipam-se ideais e o orbe ficará deserto...
Estender-se as mãos é o que há de sensato e correto
A fim de que se salvem deste anátema profundo!
Que os partidos e as crenças sejam um só hemisfério
E, então, milhões de seres possam fugir do cemitério.

São os poetas os profetas do mundo moderno!
Através da arte, a palavra é isenta de partido
Para que a mensagem possa ter o teor bem definido
E arrebanhar do homem o pensamento incerto...
É a vereda auspiciosa da existência sem utopia
Que traz o bálsamo da inspiração e da alforria.

Ainda há tempo, mas as horas urgem cronometria!
Por isso, minha alma pranteia aos corações sórdidos
Imantados de ilusões! Transformem-se, extirpem os mórbidos
Prazeres e, uníssonos, retratem-se desta ignóbil fotografia
Que põe em risco a sobrevivência humana sobre o planeta
E que, no final, possam todos voar como colibri e borboleta!

DE Ivan de Oliveira Melo

Submited by

domingo, abril 5, 2020 - 19:20

Poesia :

No votes yet

imelo

imagem de imelo
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 23 semanas 6 dias
Membro desde: 09/09/2009
Conteúdos:
Pontos: 1659

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of imelo

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Soneto AFECÇÕES 0 338 02/08/2021 - 01:22 Português
Poesia/Geral CONEXÃO 1 189 01/27/2021 - 16:36 Português
Poesia/Geral EXTRATIVISMO 1 221 01/27/2021 - 16:33 Português
Poesia/Soneto HOMEM/MULHER 0 265 11/10/2020 - 02:56 Português
Poesia/Gótico PAISAGEM 0 322 11/04/2020 - 02:15 Português
Poesia/Soneto INFINITESIMAL 0 204 11/03/2020 - 01:52 Português
Poesia/Geral SENSAÇÕES 0 217 11/02/2020 - 23:51 Português
Poesia/Soneto SENSAÇÕES EÓLICAS 0 153 11/02/2020 - 00:32 Português
Poesia/Geral HÁBITOS & VÍCIOS 0 179 11/01/2020 - 21:34 Português
Poesia/Gótico ALUVIÃO 0 266 10/29/2020 - 03:23 Português
Poesia/Soneto JUÍZO 0 122 10/26/2020 - 02:03 Português
Poesia/Soneto NEGRUME 0 137 10/25/2020 - 14:12 Português
Poesia/Geral CIENTÍFICO 0 253 10/21/2020 - 04:47 Português
Poesia/Geral MISTÉRIOS 0 260 10/19/2020 - 02:20 Português
Poesia/Geral OS SENTIDOS 0 343 10/18/2020 - 14:48 Português
Poesia/Geral IDONEIDADE 0 263 10/17/2020 - 14:11 Português
Poesia/Soneto INTRÉPIDO 0 189 10/17/2020 - 01:37 Português
Poesia/Soneto EMBALOS 0 213 10/12/2020 - 00:36 Português
Poesia/Geral FUTUM 0 187 10/12/2020 - 00:00 Português
Poesia/Geral FUTUM 0 283 10/11/2020 - 23:57 Português
Poesia/Geral DOUTRINA 0 226 10/06/2020 - 04:33 Português
Poesia/Geral AMAR 0 274 09/30/2020 - 02:36 Português
Poesia/Gótico AGONY 0 256 09/27/2020 - 00:58 Português
Poesia/Geral AGONY 0 644 09/27/2020 - 00:21 inglês
Poesia/Geral INDOMÁVEL 0 206 09/26/2020 - 15:45 Português