CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

(1820)

1820

O mal deste mundo é nem tudo rodar à volta dele,
Por sinal a mim tudo volta excepto o que mais desejo,
Voltar ao mundo segunda, terceira, quarta vez e sempre,
Por isso escrevo detrás pra frente e não de frente pra trás

Mas sempre contra a rotação do planeta pra ser diferente
De toda a gente na Terra e em tod’a roda desta e sempre
Com a lógica de um relógio de água na metafísica de Escher,
Menos arbitrário o pêndulo que Foucault, e o universo

Tão mais próximo quanto o supúnhamos longínquo
Ou tão a Norte, o mal deste mundo é nem tudo rodar
À volta dele, de mim tampouco, sou o que sente,
Cumpro o ritual das cearas, Copérnico das velas

Crescendo, solto no ar o que parece ciência sem ser,
Ninguém me conhece tão mal quanto eu, mesmo
Os meus segredos me metem medo sendo a fingir,
Tomara este mundo possuísse longas pernas

E umas mãos de metro e meio, pra me segurar eu,
O mal deste mundo é nem tudo rodar como roda
Esta pedra redonda, que é meu coração moinho/nora
Por isso escrevo detrás pra frente e de frente pra trás …

(Joel Matos 1820)

Joel Matos (05/2018)
http://joel-matos.blogspot.com

Submited by

sexta-feira, junho 8, 2018 - 10:59

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 dias 9 horas
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 41021

Comentários

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Daniel Faria, excerto “Do que era certo” 1 891 06/21/2021 - 15:41 Português
Poesia/Geral Objectos próximos, 1 1.211 06/21/2021 - 15:40 Português
Poesia/Geral Na minha terra não há terra, 1 919 06/21/2021 - 15:38 Português
Poesia/Geral Esquecer é ser esquecido 1 517 06/21/2021 - 15:37 Português
Poesia/Geral Perdida a humanidade em mim 1 232 06/21/2021 - 15:37 Português
Poesia/Geral Cumpro com rigor a derrota 1 219 06/21/2021 - 15:36 Português
Poesia/Geral Não passo de um sonho vago, alheio 2 188 06/21/2021 - 15:36 Português
Ministério da Poesia/Geral A sismologia nos símios 1 283 06/21/2021 - 15:35 Português
Ministério da Poesia/Geral Epistemologia dos Sismos 1 433 06/21/2021 - 15:34 Português
Ministério da Poesia/Geral Me perco em querer 1 335 06/21/2021 - 15:33 Português
Ministério da Poesia/Geral Por um ténue, pálido fio de tule 1 398 06/21/2021 - 15:33 Português
Ministério da Poesia/Geral Prefiro rosas púrpuras ... 1 250 06/21/2021 - 15:33 Português
Ministério da Poesia/Geral A simbologia dos cimos 1 437 06/21/2021 - 15:32 Português
Ministério da Poesia/Geral Pangeia e a deriva continental 1 391 06/21/2021 - 15:32 Português
Poesia/Geral Minh’alma é uma floresta 1 173 06/21/2021 - 15:31 Português
Poesia/Geral O lugar que não se vê ... 1 276 06/21/2021 - 15:31 Português
Poesia/Geral Meus sonhos são “de acordo” ao sonhado, 1 252 06/21/2021 - 15:31 Português
Poesia/Geral Apologia das coisas bizarras 1 301 06/21/2021 - 15:30 Português
Poesia/Geral Gostar de estar vivo, dói! 1 178 06/21/2021 - 15:30 Português
Ministério da Poesia/Geral Os Dias Nossos do Isolamento 1 400 06/21/2021 - 15:28 Português
Ministério da Poesia/Geral Permaneço mudo 1 268 06/21/2021 - 15:28 Português
Ministério da Poesia/Geral Deixai-vos descer à vala, 1 279 06/21/2021 - 15:28 Português
Poesia/Geral "Phallu" de Pompeii! 1 330 06/21/2021 - 15:27 Português
Poesia/Geral Humano-descendentes 9 246 06/21/2021 - 15:27 Português
Poesia/Geral Confesso-me consciente por dentro … 1 327 06/18/2021 - 18:27 Português