CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Alma minha gentil, que te partiste

Alma minha gentil, que te partiste
Tão cedo desta vida descontente,
Repousa lá no Céu eternamente
E viva eu cá na terra sempre triste.

Se lá no assento etéreo, onde subiste,
Memória desta vida se consente,
Não te esqueças daquele amor ardente
Que já nos olhos meus tão puro viste.

E se vires que pode merecer-te
Algúa cousa a dor que me ficou
Da mágoa, sem remédio, de perder-te,

Roga a Deus, que teus anos encurtou,
Que tão cedo de cá me leve a ver-te,
Quão cedo de meus olhos te levou.

Luís Vaz de Camões

Submited by

sábado, outubro 11, 2008 - 18:00

Poesia :

No votes yet

LuisVazdeCamoes

imagem de LuisVazdeCamoes
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 10 anos 10 semanas
Membro desde: 10/11/2008
Conteúdos:
Pontos: 343

Comentários

imagem de Nostalgia

Luiz Vaz de Camões foi o

Luiz Vaz de Camões foi o primeiro poeta que comecei a admirar.
Este soneto foi também o que logo me ficou no ouvido.

imagem de Henrique

Re: Alma minha gentil, que te partiste

Um poema com arte, razão e sentimento!!!

:-)

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of LuisVazdeCamoes

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Soneto Alma minha gentil, que te partiste 2 860 10/16/2011 - 12:16 Português
Fotos/ - camoes 0 1.076 11/23/2010 - 23:36 Português
Poesia/Soneto Dos ilustres antigos que deixaram 1 989 03/03/2010 - 19:05 Português
Poesia/Soneto Doce sonho, suave e soberano, 1 553 03/03/2010 - 19:05 Português
Poesia/Soneto Dizei, Senhora, da Beleza ideia 1 2.445 03/03/2010 - 19:04 Português
Poesia/Soneto Ditoso seja aquele que somente 1 561 03/03/2010 - 19:04 Português
Poesia/Soneto Ditosas almas, que ambas juntamente 1 583 03/03/2010 - 19:04 Português
Poesia/Soneto Diana prateada esclarecia 1 658 03/03/2010 - 19:03 Português
Poesia/Soneto Depois que viu Cibele o corpo humano 1 675 03/03/2010 - 19:03 Português
Poesia/Soneto Deixando o doce fato e a cabana 1 679 03/03/2010 - 19:03 Português
Poesia/Soneto Debaixo desta pedra sepultada 1 617 03/03/2010 - 19:02 Português
Poesia/Soneto De frescas belvederes rodeadas 1 731 03/03/2010 - 19:02 Português
Poesia/Soneto Criou a Natureza damas belas 1 835 03/03/2010 - 19:01 Português
Poesia/Soneto Crecei, desejo meu, pois que a Ventura 1 542 03/03/2010 - 19:01 Português
Poesia/Soneto Como quando do mar tempestuoso 1 695 03/03/2010 - 19:01 Português
Poesia/Soneto Com voz desordenada, sem sentido 1 730 03/03/2010 - 19:00 Português
Poesia/Soneto Com que voz chorarei meu triste fado 1 718 03/03/2010 - 19:00 Português
Poesia/Soneto Chorai, Ninfas, os fados poderosos 1 1.127 03/03/2010 - 18:53 Português
Poesia/Soneto Cantando estava um dia bem seguro 1 615 03/03/2010 - 18:53 Português
Poesia/Soneto Busque Amor novas artes, novo engenho 1 687 03/03/2010 - 18:52 Português
Poesia/Soneto Aqueles claros olhos que chorando 1 1.946 03/03/2010 - 18:52 Português
Poesia/Soneto Aquela que, de pura castidade 1 1.081 03/03/2010 - 18:51 Português
Poesia/Soneto Aquela fera humana que enriquece 1 940 03/03/2010 - 18:51 Português
Poesia/Soneto Apolo e as nove Musas, discantando 1 1.479 03/03/2010 - 18:50 Português
Poesia/Soneto Apartava-se Nise de Montano 1 1.208 03/03/2010 - 18:50 Português