CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

...bla, bla, bla...

...bla, bla, bla, bla...
Hoje, depois do jantar, enquanto bebia um café, morreu-me nas mãos a poesia.
Penso que tenha sido uma corrente de ar pela janela da cozinha, a origens das primeiras palpitações.
Depois um ataque de tosse, provocado pelo fumo do meu cigarro que ardia no cinzeiro.
Já há uns meses a esta parte que andava fraca, o verão foi quente e farto em excessos.
Esta última noite acabou com ela.
Não resistiu, logo a seguir a uma convulsão, esbugalhou os olhos e caiu-me nas mãos inanimada.
Acabei, neste instante de lhe fazer o enterro, num vaso que estava por ali na bancada com um cacto dentro.
Ali fica bem, perto da janela.
Bate o sol pela manhã e à tarde, vêm pássaros cantar na beirada das varandas.
Hoje, morreu-me a poesia nas mãos, morreu, porque tinha os olhos abertos.
...bla, bla, bla...

Nuno Marques

Submited by

terça-feira, setembro 21, 2010 - 02:37

Poesia :

No votes yet

nunomarques

imagem de nunomarques
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 anos 46 semanas
Membro desde: 02/09/2010
Conteúdos:
Pontos: 1390

Comentários

imagem de danyfilipa

Re: ...bla, bla, bla...

decerto que a poesia nao morreu,
mas sim apenas adormecida ;-)

gosto de te ler :-)

imagem de SuzeteBrainer

Re: ...bla, bla, bla...

Nas tuas mãos de grande poeta,sempre nascem e morrem poesias, de sai de ti e ir para o mundo,porém nunca morre no processo criativo e essencial da mesma.
A vida é assim morrer e nascer a cada instante...
Bj.
Suzete.

imagem de MariaButterfly

Re: ...bla, bla, bla...

espero que essa poesia que matas te
nao seja um sentimento!
porque a poesia nao te pode morrer, a ti nao...

sei k nunca tinha comentado os teus poemas, a tua poesia...mas sempre a li.
gosto mesmo dela!

beijos

imagem de Almalusitana

Re: ...bla, bla, bla...

Hoje, morreu-me a poesia nas mãos Adorei ler o teu texto, para mim, está espectácular. Assim a escrever, a poesia não morrerá, com certeza. Abraços

imagem de MargaridaRibeiro

Re: ...bla, bla, bla...

Mas vai ressuscitar não vai?

Ou poesia era nome de bicho doméstico que terias por ali?

Quando morre uma poesia é porque a missão do poeta terminou. Até à próxima poesia aparecer por entre as letras...é claro! Hehehehe...

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of nunomarques

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Temporal 1 470 02/27/2018 - 11:17 Português
Poesia/Geral A coisa mais estúpida do mundo 1 791 02/27/2018 - 11:16 Português
Poesia/Geral Justificação racional 0 496 01/30/2015 - 12:36 Português
Poesia/Geral Perspectiva 0 629 01/29/2015 - 11:20 Português
Poesia/Geral Esclarecimento 0 456 09/09/2014 - 12:23 Português
Poesia/Geral Poema e chuva 1 624 05/25/2014 - 04:17 Português
Poesia/Geral Debruçado sobre a janela 0 649 03/17/2014 - 10:47 Português
Poesia/Geral Strange 0 638 03/17/2014 - 10:44 Português
Poesia/Geral Viver é sair para a rua de manhã, aprender a amar e à noite voltar para casa. 0 716 01/30/2014 - 20:37 Português
Poesia/Geral Interior 0 570 09/15/2013 - 11:00 Português
Poesia/Geral Ilusório 0 625 09/13/2013 - 17:26 Português
Poesia/Geral O fim é uma despedida sem adeus 0 1.389 09/09/2013 - 20:13 Português
Poesia/Geral Momento 0 589 05/21/2013 - 16:38 Português
Poesia/Geral “La folie” 0 458 05/08/2013 - 14:44 Português
Poesia/Geral Á luz de uma lua de Saturno 0 492 04/16/2013 - 09:10 Português
Poesia/Geral Insónia 0 365 04/15/2013 - 11:25 Português
Poesia/Geral Caravelas azuis céu adentro por dois mil anos 4 903 05/23/2012 - 23:28 Português
Poesia/Geral Concordata - O desejo 2 916 05/14/2012 - 16:38 Português
Poesia/Tristeza Qualquer coisa sem propósito 3 814 04/20/2012 - 15:24 Português
Poesia/Geral Concordata - A cena 1 804 03/07/2012 - 09:47 Português
Poesia/Geral Concordata - A máscara 2 742 03/07/2012 - 09:43 Português
Poesia/Geral Os meus braços são estradas 3 719 02/25/2012 - 16:59 Português
Poesia/Geral Dança bailarina até ao fim da noite 5 791 02/19/2012 - 23:45 Português
Poesia/Geral A fria realidade dos poemas sem calor 0 776 12/19/2011 - 21:29 Português
Poesia/Geral Há fantasmas por todo o lado 1 1.012 12/04/2011 - 22:36 Português