CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Cova e Cor

Minhas lágrimas nunca são de cansaço...
mas como eu queria que fossem.
Como eu desejo não ser...
um risível tiro e um estilhaço de mim

Caí
mas caí em silêncio. É assim que os grandes vão ao declínio,
sem estrondo,
na impecabilidade das palavras fáceis
no farfalhar sutil das folhas secas

Atei a gravata, ateei fogo...
mas hoje não pretendo sair de casa...
Devo saltar? Devo saltar da cadeira e ficar suspenso?

Suspense. Não. Covardia e coragem, uma coisa só. Eu, uma coisa só. Eu, covardia e coragem.

Cova e cor.

Submited by

terça-feira, abril 13, 2010 - 01:43

Poesia :

No votes yet

pedrohenriquereis

imagem de pedrohenriquereis
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 8 anos 35 semanas
Membro desde: 04/13/2010
Conteúdos:
Pontos: 5

Comentários

imagem de Librisscriptaest

Re: Cova e Cor

Interessante e perscrutador, muito bem conseguido, adorei a forma como pegou nas duas palavras e as transformou numa nova materia prima, dando outra cor ao poema!
brilhante, deveras!
Beijinho em si!
Inês Dunas

imagem de Librisscriptaest

Re: Cova e Cor

"Caí
mas caí em silêncio. É assim que os grandes vão ao declínio,
sem estrondo,
na impecabilidade das palavras fáceis
no farfalhar subtil das folhas secas"

Inteligente, perscrutador...
O fim tb esta muito vem aproveitado, usando o inicio das duas palavras e conseguindo novos significados e novos limites do proprio poema!
Brilhante, deveras!
Beijinho em si!
Inês Dunas

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of pedrohenriquereis

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Tristeza Cova e Cor 2 122 04/13/2010 - 17:27 Português