CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Do fundo da alma

Sentiu o frio da solidão na madrugada fria
O medo de estar sozinho com seus pensamentos
E sabia que não poderia fazer mais nada
Que amenizasse a sua desilusão tão profunda
O coração parecia não querer obedecer
A voz silenciosa da sua razão sempre tão alerta
De que a ilusão dos amores secretos acontecem
Quando não se espera mais nada do futuro.

Do fundo da alma podia sentir a ausência
De um amor que sempre estivera em seus pensamentos
O olhar que o havia enfeitiçado não mais existia
E nem o sorriso tão sedutor envolto em mistérios
Poderia agora trazer sua felicidade de volta.

Uma linha tênue havia sido ultrapassada
O limite entre a dor e a razão que causa estranheza
Entre o sonho e a realidade encontrava-se perdido
Sem saber qual era o melhor caminho a seguir.

Em silêncio deixou se cair sobre o chão frio
Enquanto fechava os olhos para toda essa solidão
O vazio que sentia na alma era atroz
Como um barco solitário no meio do oceano
Podia ouvir o som do vento lá fora
E sentir o frio da solidão em sua alma vazia
Deixar-se-ia ser levado pela morte cruel
De um amor que nunca deveria ter sentido no coração.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

quinta-feira, julho 8, 2021 - 16:38

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Online
Título: Membro
Última vez online: há 21 minutos 21 segundos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 6230

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Desilusão Sozinho pelas nuvens da solidão 0 449 03/02/2021 - 19:35 Português
Videos/Poesia Às Margens do Rio Paraguai - Entrevista com o Poeta Cacerense 0 571 03/01/2021 - 20:12 Português
Poesia/Geral Às Margens do Rio Paraguai - Entrevista com o Poeta Cacerense 0 196 03/01/2021 - 20:08 Português
Poesia/Meditação O fim dos falsos profetas 0 251 03/01/2021 - 20:06 Português
Poesia/Fantasia A pequena árvore 0 641 02/26/2021 - 21:41 Português
Poesia/Intervenção As virgens imprudentes 0 213 02/25/2021 - 15:03 Português
Poesia/Amor Desejo imenso 0 490 02/24/2021 - 21:47 Português
Poesia/Tristeza Escrevo-te para contar como estou 0 286 02/23/2021 - 19:23 Português
Poesia/Desilusão As mil partes do meu coração 0 224 02/22/2021 - 20:38 Português
Poesia/Paixão Diário de uma paixão 0 239 02/20/2021 - 22:06 Português
Poesia/Desilusão Por que tudo se acaba com o vento? 0 283 02/19/2021 - 19:13 Português
Poesia/Desilusão Será que não lembra? 0 304 02/18/2021 - 15:57 Português
Poesia/Meditação A Personagem 0 468 02/17/2021 - 19:42 Português
Poesia/Meditação Não ter medo de encarar os desafios da vida! 0 293 02/15/2021 - 19:51 Português
Poesia/Tristeza A dor escondeu-se no silêncio 0 344 02/15/2021 - 12:48 Português
Poesia/Intervenção As sobras da vida 0 266 02/13/2021 - 20:13 Português
Poesia/Intervenção Hipócritas 0 392 02/12/2021 - 19:49 Português
Poesia/Paixão No alvorecer do seu olhar 0 260 02/11/2021 - 19:13 Português
Poesia/Amor A deusa da minha poesia 0 262 02/11/2021 - 14:18 Português
Poesia/Intervenção Hiroshima 0 361 02/10/2021 - 18:53 Português
Poesia/Meditação Não tenha medo do silêncio 0 221 02/09/2021 - 19:42 Português
Poesia/Tristeza De tudo ficou um pouco 0 532 02/08/2021 - 23:41 Português
Poesia/Desilusão Essa religião 0 200 02/08/2021 - 18:31 Português
Poesia/Intervenção Mal acariciada pelo destino 0 241 02/06/2021 - 21:57 Português
Poesia/Desilusão Se eu soubesse que a dor fosse tão terrível assim 0 353 02/05/2021 - 22:51 Português