CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Em algum lugar que eu nunca estive (Cummings)

Em algum lugar em que eu nunca estive,alegremente além
de qualquer experiência,teus olhos têm o seu silêncio:
no teu gesto mais frágil há coisas que me encerram,
ou que eu não ouso tocar porque estão demasiado perto

teu mais ligeiro olhar facilmente me descerra
embora eu tenha me fechado como dedos, nalgum lugar
me abres sempre pétala por pétala como a Primavera abre
(tocando sutilmente,misteriosamente)a sua primeira rosa

ou se quiseres me ver fechado, eu e
minha vida nos fecharemos belamente,de repente,
assim como o coração desta flor imagina
a neve cuidadosamente descendo em toda a parte;

nada que eu possa perceber neste universo iguala
o poder de tua imensa fragilidade: cuja textura
compele-me com a cor de seus continentes,
restituindo a morte e o sempre cada vez que respira

(não sei dizer o que há em ti que fecha
e abre; só uma parte de mim compreende que a
voz dos teus olhos é mais profunda que todas as rosas)
ninguém, nem mesmo a chuva,tem mãos tão pequenas
 

Edward Eastlin Cumrnings, que literariamente sempre assinou, e.e. cummings (em caixa baixa) (1894-1962), poeta e pintor norte-americano. Poema traduzido por Augusto de Campos.

 

Submited by

sexta-feira, outubro 28, 2011 - 12:34

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

AjAraujo

imagem de AjAraujo
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 ano 12 semanas
Membro desde: 10/29/2009
Conteúdos:
Pontos: 15584

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of AjAraujo

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Intervenção A uma mendiga ruiva (Charles Baudelaire) 0 3.842 07/03/2014 - 02:55 Português
Poesia/Intervenção Coração avariado 1 1.577 06/25/2014 - 03:09 Português
Poesia/Fantasia Flores bonecas 2 1.554 06/24/2014 - 20:14 Português
Poesia/Intervenção Caminho de San Tiago 0 2.214 06/24/2014 - 00:31 Português
Poesia/Soneto Há em toda a beleza uma amargura (Walter Benjamin) 1 1.791 06/20/2014 - 21:04 Português
Poesia/Soneto Vibra o passado em tudo o que palpita (Walter Benjamin) 1 1.578 06/19/2014 - 23:27 Português
Poesia/Meditação Sonhe (Clarice Lispector) 1 1.706 06/19/2014 - 23:00 Português
Poesia/Intervenção Dá-me a tua mão (Clarice Lispector) 0 1.679 06/19/2014 - 22:44 Português
Poesia/Intervenção Precisão (Clarice Lispector) 0 1.258 06/19/2014 - 22:35 Português
Poesia/Meditação Pão dormido, choro contido 1 1.442 06/13/2014 - 04:02 Português
Poesia/Fantasia A dívida 1 1.584 06/12/2014 - 04:52 Português
Poesia/Intervenção Eco das Ruas 1 1.052 06/12/2014 - 04:38 Português
Poesia/Aforismo Maneiras de lutar (Rubén Vela) 2 1.494 06/11/2014 - 11:22 Português
Poesia/Aforismo O médico cubano, o charuto e o arroto tupiniquim (cordel) 2 1.904 06/11/2014 - 11:19 Português
Poesia/Intervenção Espera... (Florbela Espanca) 0 1.273 03/06/2014 - 11:42 Português
Poesia/Intervenção Interrogação (Florbela Espanca) 0 1.174 03/06/2014 - 11:36 Português
Poesia/Intervenção Alma a sangrar (Florbela Espanca) 0 994 03/06/2014 - 11:32 Português
Poesia/Soneto Vê minha vida à luz da proteção (Walter Benjamin) 0 1.234 03/03/2014 - 13:16 Português
Poesia/Dedicado Arte poética (Juan Gelman) 0 1.522 01/17/2014 - 23:32 Português
Poesia/Dedicado A palavra em armas (Rubén Vela) 0 914 01/17/2014 - 23:01 Português
Poesia/Fantasia A ÁRVORE DE NATAL NA CASA DE CRISTO (FIODOR DOSTOIÉVSKI) 0 758 12/20/2013 - 12:00 Português
Poesia/Dedicado Aqueles olhos sábios 0 1.063 10/27/2013 - 21:47 Português
Poesia/Pensamentos Asteróides 0 951 10/27/2013 - 21:46 Português
Poesia/Pensamentos O que se re-funda não se finda 0 1.172 10/27/2013 - 21:44 Português
Poesia/Intervenção Para mim mesmo ergui…(Aleksander Pushkin) 0 1.416 10/16/2013 - 00:14 Português