CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Eterium

Tão mesquinha é a vida,
Tão frágil tão fugaz,
No ventre que te aquece,
Que te forma que te faz.
Tão fraco, tão pequeno, tão humilde te inicias
E és puro, és alegre, és criança,
Tão bela por si só
E és homem futuro, fruto da esperança.
Tão jovem, tão vivo, tão selvagem,
tão imaturo, já menos puro, adulto que te fazes ser
E convives e aprendes e criticas
E cresces, como cresces, tudo serve para crescer.
Entre lágrimas,anseios,gargalhadas,
Felicidade, faz de conta e sentimentos em estado bruto,
Desilusões, mais desilusões, de novo gargalhadas,
Por entre dores e friezas fazes-te adulto.
Ocupado, preocupado, entretido,
Talvez o auge do homem que foi esperança,
Prendes-te no trabalho, procrias e produzes para o mundo,
Sonhas, libertas-te e voltas a ser criança.
Ah! Agora és saudade, és recordação,
És exemplo, és mãe ou pai.
És triste na alma, triste no corpo,
esse corpo...que te cai.
Depois és voz de quem sabe da vida,
Voz de quem plantou árvores de fruto
E os frutos amadurecem com tanta rapidez,
que o tempo passou e a vida foi um minuto.
Agora és apenas tu, resignado à tua condição.
De um filme lindo que querias ter vivido,
a vida foi uma curta metragem.
Humilde, fraco, esquecido...apagas-te para o mundo
e cumpres a viagem.

Submited by

sábado, março 5, 2011 - 02:37

Poesia :

No votes yet

paullopex

imagem de paullopex
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 semanas 6 dias
Membro desde: 04/05/2010
Conteúdos:
Pontos: 148

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of paullopex

Tópico Título Respostasícone de ordenação Views Last Post Língua
Poesia/Intervenção Revolução 0 411 03/05/2011 - 02:34 Português
Poesia/Meditação Eterium 0 695 03/05/2011 - 02:37 Português
Poesia/Desilusão Saudade, sempre demais. 0 531 03/05/2011 - 02:38 Português
Poesia/Aforismo Noturno(pelas normas) 0 526 03/05/2011 - 02:41 Português
Poesia/Meditação Actor 0 443 03/05/2011 - 02:43 Português
Poesia/Paixão E de repente... 0 502 03/05/2011 - 02:47 Português
Poesia/Pensamentos Podia-mos dar um passeio. 0 461 03/05/2011 - 02:49 Português
Poesia/Desilusão Não!!! 0 405 03/06/2011 - 00:30 Português
Poesia/Desilusão Decadência 0 873 03/06/2011 - 00:46 Português
Poesia/Amor Tu és... 0 378 03/06/2011 - 00:50 Português
Poesia/Amor Desconhecida 0 463 07/06/2011 - 03:28 Português
Poesia/Amor Aventura 0 474 08/19/2011 - 15:21 Português
Poesia/Alegria Primavera 0 328 08/18/2013 - 01:56 Português
Poesia/Intervenção I CAN'T BREATH 0 61 05/31/2020 - 01:18 Português
Poesia/Meditação E, como amamos? 1 340 03/05/2018 - 22:19 Português
Poesia/Geral está bem assim? 1 415 03/08/2018 - 18:42 Português
Poesia/Amor Noites de Inverno 1 570 01/14/2014 - 13:45 Português
Poesia/Amor A dança 1 232 06/05/2014 - 05:40 Português
Poesia/Meditação Quanto mede o infinito? 1 492 03/01/2018 - 18:06 Português
Poesia/Desilusão Múmia Sadia 2 407 03/06/2011 - 00:34 Português
Poesia/Geral Cidade ao entardecer (antigo) 2 483 03/12/2011 - 02:14 Português
Poesia/Intervenção Que se CALEM, que se GRITE!!!! 2 414 03/15/2011 - 00:45 Português
Poesia/Meditação A estrada 4 514 03/05/2011 - 23:44 Português
Poesia/Meditação A regra 4 637 04/17/2011 - 13:16 Português
Poesia/Amor Porto de Abrigo 4 496 03/06/2018 - 16:22 Português