CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Extravio de si

Viu-se no ar discreto sobre as copas das árvores
Um pássaro cujo nome Sentido,
Flutuava macio solerte aos ares céus seus campos
Na cavalgada de aves a lutar com os ventos.
Bicos intuitivos com pontas agudas
Em anseios seios nuvens
A amansá-las para tornar-se amante da brisa antiga namorada do além.

Amável céu que não há par,
Estudo do puro que não há livro.
Tão antigo quanto um segundo,
Tão severo quanto cravos na pele de Javé.

Levou-me consigo,
Deixou-me ao topo de todos os nortes do logo,
Foi breve
“Logo, sem palavras tu regressarás em busca doutros curiosos filhos do o quê”,
Por cúmulo assentou-se vazio
Na hombridade cansada daquilo que não existe contar.

Todos ausentaram-se de suas carnes,
Mas pegaram outros rumos.
O Sentido morreu ao trazer em seu voo a morte.

Soube que era errado mostrar a ele o fora daqui,
Pois bem!
Fiz-me de seu tino.
Soube que foi a automorte tão desventurada
E assim arremeteu-se forte na morte
Tão pobre Sentido.

Submited by

terça-feira, setembro 25, 2012 - 16:10

Poesia :

No votes yet

Alcantra

imagem de Alcantra
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 anos 41 semanas
Membro desde: 04/14/2009
Conteúdos:
Pontos: 1563

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Alcantra

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Geral Suspiro dessepultado 0 889 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Uma página em branco 0 522 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Tálamo do titilar 0 1.027 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Tacto dulcífico 0 607 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Depois 0 1.523 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Palavra que soa e deixa de dizer 0 432 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Laços da língua 0 498 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Bocas que sangram 0 955 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral De viés 0 557 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Ziguezagueia destino ziguezagueante 0 865 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral A cama e o sexo 0 841 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Títulos Quebrados 0 890 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Os trilhos estão indo... 0 897 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral As trincas 0 1.198 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Nu 0 1.656 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Algo 0 1.124 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Cabeça na mesa 0 694 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral O manto e o inverno 0 1.013 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral O que é... O que já não é (foram-se as emoções) 0 1.130 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Avenidas de mim 0 1.041 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral E... 0 1.167 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Não sei... Não sou 0 827 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Desnudo 0 1.251 11/19/2010 - 19:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Mares de mim 0 1.005 11/19/2010 - 19:08 Português
Críticas/Outros Worldartfriends - De volta à poesia 0 723 11/19/2010 - 02:47 Português