CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Macaquinhos de liberdade

Cansa-me este mundo
Revolta-me todo este absurdo
Escumalha de pequenos ditadores!

Falseiam vidas, vivem connosco
Vivem de nós! Impõe-nos ser
Mas jamais sequer nos deixam viver

“Liberdade, onde estás? Quem te demora?”
Coisa tão sentimental que existiu outrora
Liberdade de quem é obrigado a ser
Ensinamo-los a ser e deles vamos viver
Nojentos porcos, fazem-os acreditar!

Não há um só mundo, como tentam parecer
Somos um conjunto deles que lutam por não morrer
E matamos quem tenta viver, por liberdade
A liberdade de se acusar por viver
“A guerra é indispensável para chegar à paz”

Morra quem me quer ver morrer
Não nasça quem eu não quero ver!
Eu sou, eu quero, eu posso, vocês têm de ser!
Bando de terroristas travestidos, ditadores
Impostores!

Quando o mundo é Manhattan
O resto é os que matam, verguemo-los
Têm de ser como nós! Não, não!
Vão ser o nosso zoo, a nossa diversão!
Matemo-los de sonhos

Destruamos maneiras de viver, impomos ser
Mas nem vemos quem somos, quem não somos
Terroristas de porta em porta, em que mais nada importa
É ter pesos, medidas e não querer saber de vidas
Nascemos para matar

Que raiva de liberdade, que morte de saudade!
Só vou ser tu quando num monstro me tornar
Enquanto pensar irei sempre contra ti lutar!
Mundo hipócrita… pessoas, ainda o são?
Penso por ele, logo vou existindo

Aviões, televisões e muitas combustões
Aldrabões! Mas vamos vê-los acreditar
Dá-nos jeito para nos podermos explorar e usar
Vivamos, mas ainda há quem queira pensar?
Não, não e não! Façamo-los sonhar
Assim nem temos de os matar, matam-se
Serão nós, para usar 

Submited by

quinta-feira, fevereiro 24, 2011 - 13:53

Poesia :

No votes yet

aasp

imagem de aasp
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 ano 8 semanas
Membro desde: 10/18/2010
Conteúdos:
Pontos: 307

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of aasp

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Fotos/Cidades Sem título 0 767 07/15/2014 - 19:02 Português
Fotos/Cidades Sem título 0 640 07/15/2014 - 18:59 Português
Fotos/Cidades Sem título 0 718 07/15/2014 - 18:57 Português
Prosas/Outros A.O. sem E, I e U 2 574 02/06/2013 - 15:59 Português
Poesia/Geral À Lua 4 637 02/06/2013 - 12:05 Português
Prosas/Pensamentos Arco-íris (2009) 2 680 07/02/2012 - 22:20 Português
Poesia/Dedicado Sentindo-me... 4 622 07/02/2012 - 21:41 Português
Prosas/Comédia MANIFESTO ANTI-GRIPE A E POR EXTENSO E REDUZIDO (2009) 0 814 06/30/2012 - 22:37 Português
Poesia/Geral Homem com máscara de emoção de ser poético 3 1.080 06/24/2012 - 22:19 Português
Poesia/Geral Clara exaltação 3 665 06/23/2012 - 22:07 Português
Poesia/Pensamentos Fugas 2 972 06/17/2012 - 10:47 Português
Poesia/Geral Não sei se és tu de quem oiço os passos... 0 579 06/12/2012 - 22:45 Português
Poesia/Geral Para um dia acabar... 0 528 04/02/2012 - 23:15 Português
Poesia/Geral Baila, baila bailarina... 0 773 11/02/2011 - 22:17 Português
Poesia/Geral Palavras alinhadas 1 1.121 04/16/2011 - 13:06 Português
Poesia/Dedicado Folhas da minha árvore continuam a cair... 2 806 03/24/2011 - 23:18 Português
Poesia/Meditação 11.3.11 0 975 03/14/2011 - 11:59 Português
Poesia/Geral Rabiscos lienares 0 702 02/28/2011 - 11:50 Português
Poesia/Amor Minha Nai, meu anjo da guarda... 0 840 02/24/2011 - 14:25 Português
Poesia/Intervenção Macaquinhos de liberdade 0 810 02/24/2011 - 13:53 Português
Poesia/Geral Ella 2 0 960 01/31/2011 - 14:06 Português
Poesia/Geral Ella 1 0 989 01/31/2011 - 13:23 Português
Poesia/Geral Objecto de ti 0 1.069 01/27/2011 - 16:31 Português
Poesia/Dedicado Bailarina 0 996 01/21/2011 - 00:14 Português
Poesia/Dedicado (sem título) 1 752 01/19/2011 - 19:34 Português