CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Névoa

Névoa, névoa seca que inclemente cai
sobre todos os rostos da multidão que vai
sobre os cumes, arvoredos
sobre os vales, os prados

Névoa, em qualquer dia
O que me traz, o que me leva?
Saber ser gente no mais obscuro
Do dia, de névoa que cai no porto

Cai, e encobre os olhares vazios
E não deixa imagem à vista de cem metros
E estou à distância inda maior
De você, da vida, do teu amor

Névoa, névoa seca caia
O sol se esconde sobre teu alvo véu
Tudo é escuro na claridade do dia
A não ser uma visão, miragem ao léu

Névoa caia, caia mesmo, nevoeiro
Sobre a estrada do rumo perdido,
dos morféticos desejos, a esmo
Na solidão perene por que passo.
 

AjAraújo, o poeta humanista, escrito em junho de 1975.

Submited by

domingo, março 27, 2011 - 12:32

Poesia :

No votes yet

AjAraujo

imagem de AjAraujo
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 anos 11 semanas
Membro desde: 10/29/2009
Conteúdos:
Pontos: 15584

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of AjAraujo

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Dedicado Auto de Natal 2 1.897 12/16/2009 - 03:43 Português
Poesia/Meditação Natal: A paz do Menino Deus! 2 2.817 12/13/2009 - 12:32 Português
Poesia/Aforismo Uma crônica de Natal 3 2.590 11/26/2009 - 04:00 Português
Poesia/Dedicado Natal: uma prece 1 2.349 11/24/2009 - 12:28 Português
Poesia/Dedicado Arcas de Natal 3 2.902 11/20/2009 - 04:02 Português
Poesia/Meditação Queria apenas falar de um Natal... 3 2.954 11/15/2009 - 21:54 Português