CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

O poeta pede ao seu amor que lhe escreva (F. Garcia Lorca)

Amor de minhas entranhas, morte viva,
em vão espero tua palavra escrita
e penso, com a flor que se murcha,
que se vivo sem mim quero perder-te.

O ar é imortal. A pedra inerte
nem conhece a sombra nem a evita.
Coração interior não necessita
o mel gelado que a lua verte.

Porém eu te sofri. Rasguei-me as veias,
tigre e pomba, sobre tua cintura
em duelo de kordiscos e açucenas.

Enche, pois, de palavras minha loucura
ou deixa-me viver em minha serena
noite da alma para sempre escura.

F. Garcia Lorca, poeta espanhol, (1848-1937), poema traduziado por: William Agel de Melo.

Submited by

quarta-feira, julho 20, 2011 - 11:42

Poesia :

No votes yet

AjAraujo

imagem de AjAraujo
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 anos 4 semanas
Membro desde: 10/29/2009
Conteúdos:
Pontos: 15584

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of AjAraujo

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Dedicado Auto de Natal 2 932 12/16/2009 - 03:43 Português
Poesia/Meditação Natal: A paz do Menino Deus! 2 1.542 12/13/2009 - 12:32 Português
Poesia/Aforismo Uma crônica de Natal 3 1.620 11/26/2009 - 04:00 Português
Poesia/Dedicado Natal: uma prece 1 1.429 11/24/2009 - 12:28 Português
Poesia/Dedicado Arcas de Natal 3 1.674 11/20/2009 - 04:02 Português
Poesia/Meditação Queria apenas falar de um Natal... 3 1.613 11/15/2009 - 21:54 Português