CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Objectos próximos,


Durmo com um punhal na nuca
E outro onde sinto menos, objectos
Próximos sempre me meteram medo,
Imagino o sol progredindo plos cabelos
E por entre os cinco dedos duma mão,

O som do cotovelo quando movo o braço,
Lembra-me sem querer, o mar e o rochedo,
Fico gelado nos dedos e maldigo o inverno
Frio, hoje como nunca apenas no coração
Consinto esse frio visível e sem disfarce,

Durmo com um punhal na nuca, queima
Quando me toca na face, lembra a morte
Não de todo negra, mas cinzenta pouco
Clara, como a sorte ou o sentir do beijo
Na aragem, é como a paixão, não se demora,

Mal me acontece estar triste, penso nela,
Tenho logo outra razão pra contrariar
Isso, estou triste porque existo pra fora,
Melhor não há, viver não é ruim, assim
Amo as coisas simples, o vinho tinto,

Dois seios, o pão, o cantar do galo,
O sorriso dela, o alecrim, o agasalho, um gato
No inverno, o sorriso meu, uma vela,
Um saguão e a escada e o fim do livro lido em
Vão, quanto o final de um sonho mau ou

Nada mais que meu, que a sensação de tê-lo
Sonhado, a meio sono como é hábito e em
Forma de pensamento e tacto, algo como se fosse
Outro sentido, quinto ou primeiro, em alta voz,
Falando comigo em Braille, como sempre faço.

http://joel-matos.blogspot.com
Joel Matos (Março 2020)

Submited by

quarta-feira, abril 15, 2020 - 12:06

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 semana 2 dias
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 41021

Comentários

imagem de Joel

obrigado pela leitura

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Aforismo flores d'cardeais 0 1.984 11/19/2010 - 19:16 Português
Ministério da Poesia/Dedicado Magdalena 0 2.731 11/19/2010 - 19:16 Português
Ministério da Poesia/Aforismo peito Abeto 0 2.043 11/19/2010 - 19:16 Português
Ministério da Poesia/Aforismo rapaz da tesoura 0 1.873 11/19/2010 - 19:16 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Koras 0 3.246 11/19/2010 - 19:16 Português
Ministério da Poesia/Aforismo escrever pressas 0 1.427 11/19/2010 - 19:16 Português
Ministério da Poesia/Aforismo não tarde 0 1.845 11/19/2010 - 19:16 Português
Ministério da Poesia/Aforismo fecha-me a sete chaves 0 989 11/19/2010 - 19:16 Português
Ministério da Poesia/Aforismo inventar 0 2.303 11/19/2010 - 19:16 Português
Ministério da Poesia/Dedicado professas 0 2.209 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo amor sen'destino 0 2.685 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo andorinhão 0 3.001 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo sentir mais 0 1.815 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo palabras 0 3.399 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo A matilha 0 3.652 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo ao fim e ao cabo 0 1.549 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo o bosque encoberto 0 2.005 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo nem teu rubor quero 0 2.137 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo em nome d'Ele 0 3.075 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Troia 0 2.923 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo desabafo 0 2.556 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Inquilino 0 2.062 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Pietra 0 2.757 11/19/2010 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Aforismo não cesso 0 2.255 11/19/2010 - 19:13 Português