CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

que bem que me sabe o bolor…

Lambo as feridas como um cão sarnento,

Já não consigo, sequer fugir de mim

Fogem todos, afastam-se do nojo que lhes meto

Deliro, que bem me sabe o gosto a bolor.


Ainda agora dobrei o Cabo da Boa Esperança

Mas o Adamastor não me reconheceu,

Já não iço as velas no vento disperso.

- Oh, homem do leme onde está Bartolomeu?


Tenho a bússola do tempo pregada nos pés

E na boca, um mar que ninguém crê

Afastem-se das tormentas do meu dorso


Afoguem as cataratas destes olhos cegos

Que rejeitam, este fardo desprezível de lazarone.

- Ah cão de merda, porque não morres como um homem?

 

Conceição Bernardino

Submited by

domingo, maio 22, 2011 - 21:53

Poesia :

Your rating: None (2 votes)

ConceiçãoBernardino

imagem de ConceiçãoBernardino
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 7 anos 42 semanas
Membro desde: 03/28/2008
Conteúdos:
Pontos: 330

Comentários

imagem de Joaquim Sustelo

Olá Conceição! Por aqui

Olá Conceição! Por aqui também?

Gostei de te ler

Beijo

imagem de ConceiçãoBernardino

olá amigo Joaquim

Olá meu amigo como vês andamos por todo lado como estás?

beijo

imagem de Joaquim Sustelo

Eu estou bem, obrigado.

Eu estou bem, obrigado. Beijinho

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of ConceiçãoBernardino

Tópico Título Respostasícone de ordenação Views Last Post Língua
Fotos/ - 216 0 646 11/24/2010 - 00:34 Português
Fotos/ - 3347 0 579 11/24/2010 - 00:54 Português
Videos/Perfil 147 0 1.127 11/24/2010 - 22:48 Português
Videos/Perfil 145 0 888 11/24/2010 - 22:48 Português
Videos/Perfil 82 0 873 11/24/2010 - 22:48 Português
Videos/Perfil 72 0 370 11/24/2010 - 22:48 Português
Poesia/Amor já não sinto medo, amor… 0 1.125 02/02/2011 - 16:51 Português
Poesia/Amor Ama-me antes do fim… 0 728 02/03/2011 - 12:24 Português
Poesia/Intervenção Hei-de arrancar as palavras com os dentes 0 587 02/04/2011 - 00:05 Português
Prosas/Tristeza como um quadrado sem lados… 0 921 02/05/2011 - 22:27 Português
Poesia/Meditação …nunca digas adeus 0 783 02/06/2011 - 19:12 Português
Poesia/Intervenção Sirvam-se…qualquer nome me serve 0 1.000 02/06/2011 - 19:12 Português
Prosas/Erótico «lágrimas de dois gumes» 0 969 02/15/2011 - 01:16 Português
Poesia/Amor já não sinto medo, amor… 0 737 09/20/2011 - 15:58 Português
Poesia/Amor Ama-me antes do fim… 0 1.054 09/20/2011 - 16:04 Português
Poesia/Intervenção No sense 0 644 09/20/2011 - 16:08 Português
Poesia/Tristeza ainda que eu morresse hoje 0 696 09/26/2011 - 00:47 Português
Poesia/Intervenção Os filhos de Hiroshima 0 903 09/27/2011 - 00:07 Português
Prosas/Outros Retalhos I 0 929 09/27/2011 - 22:30 Português
Poesia/Geral Meu doce Maio 1 363 02/24/2010 - 03:49 Português
Poesia/Geral Escultura 1 470 02/26/2010 - 14:31 Português
Poesia/Geral Dobro-me sobre migalhas 1 237 02/27/2010 - 22:39 Português
Poesia/Intervenção ainda ontem saltei o muro de Berlim 1 953 06/10/2012 - 12:25 Português
Poesia/Intervenção Simplesmente Maria 1 680 09/28/2011 - 22:45 Português
Poesia/Geral Pútrida heroína 2 291 02/28/2010 - 01:56 Português