CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Sem forma

Da antropologia cristã ficou este cálice
Do pecado a espreitar esta frágil forma
Ficou nada mais do que a vaga aurora
A manipular este coração mesquinho.

Não foram as gotas derradeiras da tempestuosa chuva
Que me limitou a exaltar as barrocas formas
Não foi pouco menos a ausente aurora
Que no crepúsculo se dissipou.

Das vozes vociferadas naquele sertão longínquo
Das Marias e dos Zés de algum ninguém que já o foram
Impregnados nos ocos santos de jardins
De um amor suspenso.

Nas palavras e nos gestos ora dispersos
Esmiuçados e embebecidos numa dose de rum
Ficaste este vazio universo
De senhor algum.

Submited by

quarta-feira, janeiro 15, 2020 - 02:16

Poesia :

No votes yet

ntistacien

imagem de ntistacien
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 semanas 11 horas
Membro desde: 04/22/2010
Conteúdos:
Pontos: 277

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of ntistacien

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Grito de libertação 2 287 05/01/2010 - 19:53 Português
Poesia/Geral Representação 3 279 05/01/2010 - 19:52 Português
Poesia/Geral Incondicional 1 292 04/29/2010 - 18:50 Português
Poesia/Geral Guérnica errante 1 280 04/29/2010 - 18:49 Português
Poesia/Geral Desilusão 1 244 04/29/2010 - 18:48 Português
Poesia/Geral Eu versus mundo 1 347 04/23/2010 - 20:49 Português