CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

SOL DE INVERNO

Era plácido
o convite da loucura
que afastava a neblina do peso do meu corpo.

Violei o meu ego
através da minha janela tímida sem paisagens.

Senti satisfações,
intocadas pelo vício
de prazer desprovido de sentido.

Chorei lágrimas francas
para apanhar o comboio de um Sol de Inverno.

Volta e meia,
pedaços de mim chegavam ao fim
das viagens que nunca cheguei a inaugurar em mim.

Com meios
sorrisos de despedida
para um sítio salvaguardado no tempo.

Tudo era um de repente
que esperava irracional num pulo para nenhures.

Algures perturbado
pelo desalento nunca inocente
das frases interiores ditas em vão.

Abri clareiras sonolentas
na poltrona de veludo de um absurdo,
espreitado pelo vento que despe toda a minha verdade.

Emoções zumbidas
na embriaguez do meu equilíbrio
foram mil e uma suspeitas da liberdade.

Não me cansa
escavar instintivamente
as elites das minhas vontades preguiçosas,
com quem danço no baile de ir embora para não sei onde.

Sou o custo
da algazarra semeada
na intimidade com o passado,
dispersado em toneladas de vazio
rasgado por trapalhadas idas e voltas da juventude.

Submited by

quarta-feira, julho 28, 2010 - 14:08

Poesia :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 1 semana
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Comentários

imagem de cecilia

Re: SOL DE INVERNO

Henrique,
Faz com que entremos em uma cortina temporal reflectindo o que de fato fizemos para mudar quem hoje somos.

Linda viajem da alma.

Abraço.

Cecilia Iacona

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostasícone de ordenação Views Last Post Língua
Poesia/Fantasia NÁUFRAGAS PALAVRAS … 0 1.570 02/06/2013 - 00:27 Português
Poesia/Intervenção QUE A MORTE NOS MATE … 0 848 09/20/2012 - 16:53 Português
Prosas/Outros CADA INSTANTE 0 1.490 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros SEM AMAR A NÓS, NÃO AMAMOS A ELES 0 1.333 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros PROVA DE PRESENÇA 0 1.165 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros ECO DO LAMENTO 0 3.505 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros BILHETE DE IDENTIDADE 0 1.770 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros POR TUDO QUE AINDA TENHO POR TER 0 1.099 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros BEM-FAZER 0 1.720 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros FAZER AMOR É EMOÇÃO ADULTA 0 1.631 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros MARULHAR PRESO NAS FLORES DO CAMPO 0 1.558 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros MAS SOU HOMEM! 0 2.290 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros INTRADUZÍVEL 0 1.729 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros AMIGOS 0 3.554 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros SILÊNCIO VIVO 0 2.469 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros AMAR SEM MEDO 0 3.946 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros PELO CAMINHO DA EVIDÊNCIA 0 927 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros ROSAS DA PAZ 0 1.639 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Drama ALGURES 0 1.793 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Outros ESCRAVO DO SENTIR 0 867 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Drama SEM O LUXO DA PAZ 0 779 11/18/2010 - 22:38 Português
Prosas/Pensamentos CONQUISTAR 0 4.227 11/18/2010 - 22:39 Português
Prosas/Drama ECO NO INCERTO 0 964 11/18/2010 - 22:39 Português
Prosas/Outros MURALHA DE PECADO 0 1.072 11/18/2010 - 22:39 Português
Prosas/Outros EIXO DE CORAGEM 0 1.789 11/18/2010 - 22:39 Português