CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

CALVÁRIO DAS PALAVRAS, O TEMPO

O tempo é um castelo onde a vida é Outono,
viver são ventos, dias são folhas caídas,
crescer são nuvens cinzentas,
aprender são árvores despidas.

Outono onde a solidão é um fosso
que nos aprisiona o corpo em torres de sopro
agitando as bandeiras da alma.

Bandeiras hasteadas ao verso do caminho
que os pés escrevem a cada lua, sorvida em lágrimas
de dores idas em raios de sol cuja fogueira é cura de amor.

As muralhas desse castelo são rugas derrocadas sobre a pele,
muralhas que pedra sobre pedra, a sabedoria é um misto
de loucura e fé cujo pensamento é uma arca de Noé
como salvação dos sentimentos.

Sentimentos salvos dos dilúvios
aquando a traição é o calvário das palavras.

Salvos das tempestades aquando a morte é um fio vazio
que nos ata ao sofrimento cujo nó,
é dado em adeus quando ela nos leva alguém.

Este é um castelo
onde os dragões cospem fogo cujas labaredas são saudades,
onde as princesas são momentos felizes
pelos quais temos de ser cavaleiros heróis de nós mesmos.

É um castelo de areia à beira mar
quando o mar é adolescência cujas marés são abecedários novos
e as ondas são brincadeiras antigas.

É um castelo de cartas aquando a idade nos baralha
sobre a mesa de um jogo onde nos sentimos
a perder o tempo em nós.

Cada um tem o seu castelo nas mãos, e só cada um poderá tomar o seu.
 

Submited by

sábado, janeiro 29, 2011 - 19:59

Prosas :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 15 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Aforismo BEM VISTO 0 2.092 01/15/2015 - 15:36 Português
Poesia/Pensamentos DESTRUIÇÃO 0 493 01/13/2015 - 21:56 Português
Poesia/Pensamentos CALMA 0 987 01/13/2015 - 14:13 Português
Poesia/Pensamentos QUE VIDA ME MATA DE TANTO VIVER 0 592 01/12/2015 - 21:18 Português
Poesia/Aforismo SEM AUSÊNCIA 0 932 01/12/2015 - 18:03 Português
Poesia/Aforismo Pior do que morrer, é não ressuscitar... 0 1.116 01/11/2015 - 23:04 Português
Poesia/Pensamentos CHOCALHO DE SAUDADE 0 551 01/11/2015 - 17:30 Português
Poesia/Pensamentos GRITO QUE AS MÃOS ACENAM NO ADEUS 0 668 01/11/2015 - 00:07 Português
Poesia/Pensamentos SOVA DE ALGURES 0 578 01/10/2015 - 20:55 Português
Poesia/Pensamentos SORRATEIRAMENTE 0 970 01/09/2015 - 20:33 Português
Poesia/Pensamentos SILÊNCIO TOTAL 0 1.234 01/08/2015 - 21:00 Português
Prosas/Terror FUMAR É... 1 3.193 06/17/2014 - 04:23 Português
Poesia/Amor COMPLETAMENTE … 1 1.326 11/27/2013 - 23:44 Português
Videos/Música The Cars-Drive 1 1.404 11/25/2013 - 11:52 Português
Poesia/Paixão REVÉRBEROS SÓIS … 1 1.144 08/15/2013 - 16:23 Português
Poesia/Meditação AS ENTRANHAS DO SILÊNCIO … 0 1.084 07/15/2013 - 20:37 Português
Poesia/Meditação TIQUETAQUEAR … 0 1.323 07/04/2013 - 22:01 Português
Poesia/Tristeza AMOR CUJO CARVÃO SE INCENDEIA DE GELO … 0 1.220 07/02/2013 - 20:15 Português
Poesia/Tristeza ONDE A NOITE SEMEIA DESERTOS DE ESCURIDÃO … 0 1.079 06/28/2013 - 20:58 Português
Poesia/Meditação ESCOLHO VIVER … 1 1.755 06/26/2013 - 09:42 Português
Fotos/Artes Se podia ser mortal? 0 1.712 06/24/2013 - 21:15 Português
Fotos/Artes Um beijo com amor dado ... 0 1.815 06/24/2013 - 21:14 Português
Poesia/Meditação AZEDAS TETAS DA REALIDADE … 0 866 06/22/2013 - 20:36 Português
Poesia/Meditação FAÍSCAS NA ESCURIDÃO … 0 829 06/18/2013 - 22:52 Português
Poesia/Meditação QUANTO BASTE … 0 568 06/10/2013 - 21:23 Português