CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Nini e a Valsa


Já se vão mais de quinze anos, mas a imagem não me sai da memória.

Os seus maltratados sessenta davam-lhe a aparência de serem mais. Sujo, maltrapilho, barbudo e eternamente bêbado, Nini perambulava pela cidade. Talvez pela vida.

Eu já o conhecia porque não era raro que ele fosse dormir na sacada de minha casa. E por tanto expulsá-lo, acabamos criando uma relação singular que se não era de amizade, também não era de hostilidade.

E foi assim que ao lhe ver naquela tarde uma onda de carinho por aquele homem - que deixara de sê-lo, sabe-se lá por quantas desilusões, frustrações e mágoas - me tomou.

O botequim não diferia em essência de todos os outros. Talvez fosse mais limpo, mas isso, diga-se, não fazia muita diferença para a fauna que mais o habitava, que frequentava.

Igual a todos, abastecia os esquecimentos com a mesma cachaça, com o mesmo vermute e com a cerveja igual; mas, naquele Sábado o inabitual som de um acordeom, cujo proprietário tocava uma valsa antiga, conferia-lhe singularidade.

E ao primeiro acorde, por puro reflexo, Nini tomou uma imaginária dama e com ela valsou.

Dançou, rodopiou e ao passarmos por ele não se conteve e com gestos largos fez-nos uma fidalga mesura, que se dos outros arrancou gargalhadas, de mim arrancou um suspiro de pura saudade.

Saudade do tempo em que valsas só eram interrompidas pelas mesuras. Saudade do tempo em que se é limpo de corpo e de alma. Saudade de um tempo em que os salões eram acessíveis. Saudade de um tempo em que Nini podia dançar sem que rissem de sua capacidade de sonhar. Saudade do tempo em que a dama não era só outra saudade. Saudade do tempo em que meu nome era Fabio e não Nini.

Lettré, l´art et la Culture, Rio de Janeiro, Primavera de 2014
 

Submited by

quarta-feira, dezembro 17, 2014 - 01:56

Prosas :

No votes yet

fabiovillela

imagem de fabiovillela
Offline
Título: Moderador Poesia
Última vez online: há 3 anos 34 semanas
Membro desde: 05/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 6158

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of fabiovillela

Tópico Títuloícone de ordenação Respostas Views Last Post Língua
Poesia/Dedicado Tatyana 1 414 05/25/2010 - 22:03 Português
Poesia/Geral Teatro Burlesco 2 1.027 12/22/2009 - 18:43 Português
Poesia/Tristeza Tema 0 933 01/17/2012 - 13:04 Português
Poesia/Geral Teme-se 0 463 03/10/2013 - 13:44 Português
Poesia/Tristeza Temor 1 1.105 09/11/2011 - 22:29 Português
Poesia/Geral Temor 0 472 05/02/2012 - 12:59 Português
Poesia/Tristeza Temores 0 640 01/27/2012 - 11:16 Português
Poesia/Geral Tempestade 0 295 03/13/2013 - 15:17 Português
Poesia/Geral Tempo 0 504 12/14/2013 - 13:47 Português
Poesia/Amor Tempo de Ninguém 0 488 12/08/2011 - 09:29 Português
Poesia/Geral Tempo, tempo 0 709 10/07/2012 - 13:28 Português
Poesia/Geral Temporal 0 516 07/26/2014 - 21:24 Português
Poesia/Geral Tempos 0 486 03/19/2015 - 03:04 Português
Poesia/Amor Tempos 0 426 11/07/2015 - 14:21 Português
Poesia/Tristeza Teria Sido 0 782 01/03/2012 - 12:40 Português
Poesia/Amor Terra 0 2.046 07/14/2011 - 13:15 Português
Poesia/Geral Terra Malhada 0 698 09/24/2010 - 12:30 Português
Poesia/Fantasia Terror 1 1.723 03/13/2011 - 14:17 Português
Poesia/Dedicado Thyago 1 454 06/13/2014 - 21:18 Português
Fotos/Pessoas Thyago Marão Villela, filho de Fabio Renato Villela 1 2.610 12/14/2009 - 22:50 Português
Poesia/Fantasia Tina 1 1.332 05/02/2011 - 12:57 Português
Poesia/Geral Tiradentes 0 1.167 04/21/2015 - 22:02 Português
Poesia/Geral To ber or not 0 952 01/09/2012 - 13:31 Português
Poesia/Fantasia Todo 0 1.347 09/14/2011 - 20:32 Português
Poesia/Amor Todos os Amores 1 2.268 07/14/2011 - 02:44 Português