CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Conversando no bar (Milton Nascimento & Fernando Brant, interpretada por Elis Regina)

Conversando no bar

(Milton Nascimento & Fernando Brant)
 

Lá vinha o bonde no sobe-e-desce ladeira
E o motorneiro parava a orquestra um minuto
Para me contar casos da campanha da Itália
E do tiro que ele não levou
Levei um susto imenso nas asas da Panair
Descobri que as coisas mudam
E que tudo é pequeno nas asas da Panair

E lá vai menino xingando padre e pedra
E lá vai menino lambendo podre delícia
E lá vai menino senhor de todo o fruto
Sem nenhum pecado, sem rancor
O medo em minha vida nasceu muito depois
Descobri que minha arma é
O que a memória guarda dos tempos da Panair

Nada de triste existe que não se esqueça
Alguém insiste e fala ao coração
Tudo de triste existe e não se esquece
Alguém insiste e fere no coração
Nada de novo existe neste planeta
Que não se fale aqui na mesa do bar...

E aquela briga e aquela fome de bola
E aquele tango e aquela dama da noite
E aquela mancha e a fala oculta
Que no fundo do quintal morreu
Morria cada dia dos dias que eu vivi

Cerveja que tomo hoje é
Apenas em memória dos tempos da Panair
A primeira Coca-cola foi
Me lembro bem agora, nas asas da Panair
A maior das maravilhas foi
Voando sobre o mundo nas asas da Panair

Em volta dessa mesa velhos e moços
Lembrando o que já foi
Em volta dessa mesa existem outras
Falando tão igual
Em volta dessas mesas existe a rua
Vivendo seu normal
Em volta dessa rua, uma cidade
Sonhando seus metais
Em volta da cidade...

.Milton Nascimento e Fernando Brant, uma dupla de compositores com belíssimas músicas que enriquecem a cultura brasileira, partindo de fatos comuns do cotidiano, como nesta bela melodia. Veja este vídeo do show ao vivo com a inesquecível Elis Regina, uma das grandes intérpretes de Milton Nascimento..

Submited by

sexta-feira, janeiro 7, 2011 - 15:46

Videos :

No votes yet

AjAraujo

imagem de AjAraujo
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 ano 12 semanas
Membro desde: 10/29/2009
Conteúdos:
Pontos: 15584

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of AjAraujo

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação Queria apenas falar de um Natal... 3 1.228 11/15/2009 - 21:54 Português
Poesia/Dedicado Arcas de Natal 3 1.405 11/20/2009 - 04:02 Português
Poesia/Dedicado Natal: uma prece 1 1.192 11/24/2009 - 12:28 Português
Poesia/Aforismo Uma crônica de Natal 3 1.201 11/26/2009 - 04:00 Português
Poesia/Meditação Natal: A paz do Menino Deus! 2 1.159 12/13/2009 - 12:32 Português
Poesia/Dedicado Auto de Natal 2 782 12/16/2009 - 03:43 Português
Poesia/Dedicado Mensagem de Natal-Ano Novo aos Poetas (2009) 3 1.333 12/25/2009 - 12:44 Português
Poesia/Dedicado Telas e cenas de vida (tributo aos pintores) 2 707 01/25/2010 - 02:53 Português
Poesia/Meditação A mulher e o atleta 2 1.314 01/29/2010 - 04:04 Português
Poesia/Aforismo Fases 1 1.964 01/29/2010 - 16:47 Português
Poesia/Meditação A vida foge... 1 1.517 02/01/2010 - 03:02 Português
Poesia/Meditação Uno 1 1.046 02/04/2010 - 17:20 Português
Poesia/Dedicado Violeiro: vida breve... 1 1.542 02/08/2010 - 01:48 Português
Poesia/Aforismo Sombras 3 1.209 02/12/2010 - 04:53 Português
Poesia/Amor Fica... 1 923 02/15/2010 - 03:28 Português
Poesia/Intervenção Porquê? 1 923 02/17/2010 - 21:21 Português
Poesia/Meditação Entes 2 1.453 03/04/2010 - 01:11 Português
Poesia/Meditação Espelho d´água 2 1.342 03/04/2010 - 01:17 Português
Poesia/Meditação Pobreza 1 1.676 03/07/2010 - 16:07 Português
Poesia/Amor Versos Eternos 2 1.724 03/09/2010 - 16:15 Português
Poesia/Acrósticos Espírito das Mulheres (Tributo ao Dia Internac. Mulheres) 2 1.960 03/11/2010 - 05:56 Português
Poesia/Dedicado Vida de Camelô 3 1.222 03/15/2010 - 00:07 Português
Poesia/Meditação Versos escorrem como a seiva vital 1 1.689 04/09/2010 - 17:58 Português
Poesia/Aforismo Rio: cidade sitiada (retrato do descaso) 3 1.086 04/12/2010 - 15:14 Português
Poesia/Meditação Morro do Bumba: atol da morte 1 1.250 04/12/2010 - 16:47 Português