CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

um sábio neozelandês

tinha um sábio neozelandês
repórter nas horas vagas
numa crise existencial
procurado
logo depois que passou pelo paquistão
e levou um tiro na bunda

meditando sobre a dor profunda
sobre a bala
sobre a dor na bunda
que abala
traz à baila uma palavra iracunda
berrou:
caralho! porra de caralho!

mas concluiu
que toda bala tem um alvo reto
nem que seja incerto

e também na bala
que atinge um avião
ou
um pássaro que acabou de fugir do zoo
(no ar)
(questão improvável mas possível, que
só passa na cabeça de um sábio)

ficou fodido com o sábio chinês
inventor da pólvora
que queria ficar só no mundo
que ensinou a pescar
mas nunca pescou pra ninguém

pensou no grão de mostarda
numa pequena descoberta
que abalara o mundo

e com tanta dor na bunda
achou que devia existir
uma bala superpoderosa
que fosse capaz de implodir o pentágono
tirar israel do mapa!

mas como era humanista
perdoou o terrorista
que por engano
fez da bunda dele seu alvo
por inimaginar
o que estaria fazendo
um sábio neozelandês naquelas bandas

nunca mais quis frequentar
as frentes de batalha
abalado que ficou
jurou
largar a profissão de repórter
sair da embriaguês
voltar à lucidez

sentar numa pedra diuturnamente
meditar

pra quem sabe uma bala perdida
não lhe atingisse a cabeça
ou um órgão vital

se desacreditava
nas manchetes que via no jornal

de tanto pensar
deu um tiro na cabeça
pra deletar a realidade

Submited by

sábado, junho 9, 2012 - 02:32

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (5 votes)

REHGGE

imagem de REHGGE
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 dias 21 horas
Membro desde: 06/08/2012
Conteúdos:
Pontos: 230

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of REHGGE

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação por entre águas. 0 241 04/03/2020 - 00:14 Português
Poesia/Tristeza vendavais. 0 717 12/30/2019 - 21:22 Português
Poesia/Pensamentos que poema tirar da cartola. 0 660 12/27/2019 - 02:32 Português
Poesia/Arquivo de textos sr. Jones. 0 696 12/27/2019 - 02:21 Português
Prosas/Outros sr. Jones. 0 410 12/27/2019 - 02:19 Português
Poesia/Amor além da carne e dos sentidos. 4 1.404 12/22/2019 - 16:30 Português
Ministério da Poesia/Dedicado homenagem a Júlio Saraiva, maluco, poeta e jornalista 2 3.522 12/13/2019 - 16:56 Português
Poesia/Geral um toque de sensibilidade. 1 1.268 02/28/2018 - 20:20 Português
Ministério da Poesia/Fantasia QUEM SABE SE EU TIVESSE O DOM 0 3.133 05/01/2013 - 01:17 inglês
Poesia/Erótico (in)CONCLUSO. 0 2.644 03/31/2013 - 22:11 inglês
Poesia/Erótico (in)CONCLUSO. 0 2.364 03/31/2013 - 22:11 inglês
Poesia/Intervenção bananas, ó 0 3.375 02/12/2013 - 23:08 Português
Poesia/Geral do tempo decrescente. 0 3.154 02/12/2013 - 17:59 Português
Poesia/Erótico (in)concluso. 0 2.884 02/11/2013 - 23:38 Português
Poesia/Dedicado nem só de poemas vive o poeta, mas de todo sonho possível. 0 3.033 12/15/2012 - 23:16 Português
Poesia/Amor AREALVA 0 3.331 12/02/2012 - 00:54 Português
Ministério da Poesia/Geral mãos. 0 3.097 11/24/2012 - 17:30 Português
Poesia/Geral águas passadiças. 0 3.252 11/24/2012 - 17:18 Português
Poesia/Soneto 2 sonetos ordinários numa noite não menos ordinária no Bairro do Bixiga, SP. 0 3.365 08/12/2012 - 00:34 Português
Poesia/Intervenção da corrupção. 1 3.474 08/01/2012 - 22:31 inglês
Ministério da Poesia/Soneto à face do dia. 0 3.118 07/29/2012 - 23:07 Português
Poesia/Geral O CANTO DO UIRAPURU 0 3.314 07/27/2012 - 23:27 Português
Ministério da Poesia/Desilusão FLOR DE CACTO // flor de cactus 0 3.432 07/16/2012 - 00:42 Português
Poesia/Dedicado CANÇÃO AO MEU QUERIDO BRASIL 1 2.766 07/09/2012 - 08:02 Português
Poesia/Geral Que saudade de tudo que reside em mim 0 3.076 07/06/2012 - 23:46 Português