CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

DÉCIMAS DA PANDEMIA

Positivo assintomático
Espalha o vírus no meio
Medroso e sem receio
O ativo e o estático
Quem complica e quem é prático
Leigo que é cientista
Contraditória entrevista
Ninguém sabe ou esclarece
Se tem tempo, ou permanece
O caso a perder de vista

Enquanto isso no aguardo
Por vacina ou remédio
Em meio à fome e o tédio
Tem magro ficando gordo
E sem tratado ou acordo
Livre mesmo estando preso
Há quem não muda de peso
Fica do jeito que era
E gordo que se supera
Subindo ao posto de obeso

Conquistas indesejadas
Chegam sem pedir esforço
Políticos e o discurso
Velhas promessas manjadas
Subidas desenfreadas
Dos preços na cesta básica
E nessa situação trágica
Só em casa, na espera
Chegou quem obeso era
À obesidade mórbida.

Sérgio da Silva Teixeira
BAGÉ/RS/BRASIL.

Submited by

quinta-feira, dezembro 3, 2020 - 17:33

Poesia :

No votes yet

Sérgio Teixeira

imagem de Sérgio Teixeira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 semanas 1 dia
Membro desde: 01/24/2011
Conteúdos:
Pontos: 527

Comentários

imagem de J. Thamiel

Coment

Li em seu poema o que eu penso...
Grandes verdades.

Por falar em pandemia,
enquanto o cão late,
o gato amedrontado mia.

Muitos têm medo da vacina,
porque enquanto a saracura
ela, talvez, vaticina

outra onda que vai chegar
para a humanidade reduzir,
paulatinamente, sem avisar.

Não haverá mais pobre,
não haverá mais indigente,
somente rico, somente nobre.

Porque neste planeta turbulento
uma pequena e rica minoria
de apenas 20%

irá sobreviver e reinar
feliz na plenitude material,
aguardando o apocalipse chegar.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Sérgio Teixeira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral SETEMBRO 2 356 09/10/2021 - 16:47 Português
Poesia/Fantasia A DÚVIDA 2 403 08/14/2021 - 21:49 Português
Poesia/Geral ABAIXO DE ZERO 0 98 07/29/2021 - 20:24 Português
Poesia/Geral QUEBRA CABEÇA 1 178 06/28/2021 - 15:38 Português
Poesia/Geral ALMA 0 173 05/17/2021 - 22:21 inglês
Poesia/Geral O PÃO E A LETRA 2 410 04/21/2021 - 23:20 Português
Poesia/Geral PERIGO REAL E IMEDIATO 2 356 04/08/2021 - 15:09 Português
Poesia/Geral A DERROTA DA MORTE 2 391 04/07/2021 - 15:46 Português
Poesia/Fantasia ETERNA INFÂNCIA 0 260 03/08/2021 - 01:19 inglês
Poesia/Geral PLANOS PARA O FUTURO 1 576 02/28/2021 - 11:18 Português
Poesia/Soneto SONETO DO MORTO VIVO 2 784 01/27/2021 - 17:26 Português
Poesia/Geral DÉCIMAS DO ATORMENTADO 2 330 01/27/2021 - 16:16 Português
Poesia/Soneto SONETO ANTAGÔNICO 3 578 01/27/2021 - 16:13 Português
Poesia/Geral DESEJO DE MORTE 4 292 01/24/2021 - 23:24 Português
Poesia/Geral DÉCIMAS DA PANDEMIA 1 444 12/04/2020 - 13:03 Português
Poesia/Soneto SONETO DA ESCURIDÃO 2 487 10/30/2020 - 12:15 Português
Poesia/Geral POEMA DO HOMEM INVISÍVEL 0 461 10/10/2020 - 20:45 Português
Poesia/Soneto SONETO À ESPERANÇA 1 381 09/21/2020 - 13:05 Português
Poesia/Geral DESPEDIDA 0 520 07/04/2020 - 21:40 Português
Poesia/Geral POR UNS E OUTROS MOTIVOS (RACISMO) 3 788 06/16/2020 - 21:07 Português
Poesia/Geral SOMOS TODOS IGUAIS (?) 2 792 05/25/2020 - 21:23 Português
Poesia/Geral O CANTAR DO MEU SILÊNCIO 2 662 05/06/2020 - 16:26 Português
Poesia/Soneto SONETO ÀS FLORES DA SEXTA-FEIRA SANTA 0 627 04/10/2020 - 16:10 Português
Poesia/Geral DÉCIMAS DO MAL QUE FEZ A PAZ MUNDIAL 2 755 03/27/2020 - 01:51 Português
Poesia/Geral ANALISTA DE MIM MESMO 0 625 03/17/2020 - 14:38 Português