CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Divagação de um poeta na noite de sua vida

Nesta solidão que me cerca
Eu contemplo o seu olhar a me conduzir
Ao infinito do meu pensamento
Que procura nas lembranças de tempos remotos
A alegria do seu sorriso nas manhãs de primavera.
O tempo passa lentamente nos olhos cansados
E a brisa da tarde chega suave espantando o calor
De um sol amarelo que procura se esconder
No horizonte distante
Atrás das árvores refletidas nas águas a serpentear
As colunas de areia.

Tento esquecer o seu sorriso que tanto me acalentava
Seus olhos a me dizer o que havia no seu coração
Sua forma esbelta de olhar para as nuvens
E deixar os pensamentos
Escorrerem pela sua boca pequena.
Há uma profunda dor que incomoda lentamente
E aumenta conforme as horas vão passando.
É como se as areias da ampulheta quisesse dizer
Que o tempo não volta mais.

Na verdade eu já sei de tudo isso
Mas parece que as respostas para as minhas perguntas
Já não são capazes de convencer-me de que a realidade
É esta mesma que está diante de mim.

Observo o beija-flor que bate suas asas incansavelmente
E paira no ar como se me olhasse
E eu quero ser livre como ele.
Então deixo escorrer de meus olhos aquela lágrima teimosa
Que procura fugir do silêncio que me cerca.
Percorro as campinas verdejantes a minha frente
Mas nem sei se são verdes as folhas que contemplo.
Meus olhos confundem-me a todo instante
E o que sinto nem sempre é o que estou sentindo
Pois meus sentimentos são como as miragens do deserto.

Você é como essa estrela que estou olhando
Que vejo brilhar e ofuscar a minha visão
Então levanto as minhas mãos e você se afasta
E quanto mais corro em direção a ela
Mais longe ela fica de mim.
Não sei porque foi preciso caminhar nesta estrada
Que só me prende as lembranças
De um tempo que não volta mais.

Meus dedos estão encurvados
Eles nãos querem mais escrever sobre isso
Querem um descanso para seus ossos e músculos
Mas o pensamento divaga
Eles precisam ser pontuados e eternizados neste papel.
Não adianta pensar tudo isso e não falar
Onde mais encontraria respostas para estas perguntas?
Não são as respostas que movem o mundo
Mas o que seria do mundo se não houvesse as perguntas?

Agora meus passos são lentos
Não tenho pressa mais de chegar a qualquer lugar
Quero olhar tudo a minha volta
Sentir o perfume das flores e ouvir o canto dos pássaros.
Não me importa a distância
Nem o medo pode me afastar de buscar essa esperança
Esse olhar que se destaca na multidão.

Na minha mente há uma enorme confusão
Perguntas sem respostas me torturam
Pois preciso saber quem é você
E como surgiu assim na minha vida.
Não pode simplesmente aparecer do nada e mudar tudo assim
Sem uma explicação plausível.
Agora eu preciso ir
Para o meu caminho
E preciso esquecer tudo isso
Que permeia os meus sentimentos.
Só quero sentir suas mãos suaves a acariciar meus cabelos
E sua voz me dizendo para acreditar nos seus olhos.

Eu apenas quero deixar o vento levar meus pensamentos
E meus dedos registrar
O que sinto no meu coração
Nesta noite de nostalgia
Quando penso no seu olhar tão lindo.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

sexta-feira, novembro 27, 2020 - 01:04

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 15 horas 6 minutos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 4972

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Prosas/Pensamentos Tirem esse preto de perto de mim 1 66 01/17/2021 - 21:33 Português
Poesia/Meditação A assolação do coronavírus 1 143 01/17/2021 - 21:24 Português
Poesia/Amor Neste amor vou acreditar 0 115 01/17/2021 - 16:40 Português
Poesia/Meditação Jesus, Nosso Salvador 2 192 01/16/2021 - 13:45 Português
Poesia/Paixão Existe um amor em mim 0 883 01/14/2021 - 18:03 Português
Poesia/Paixão Singela poesia 0 132 01/13/2021 - 12:31 Português
Poesia/Desilusão O caminho do coração 0 75 01/12/2021 - 12:19 Português
Poesia/Amor Outra canção de amor 0 83 01/11/2021 - 11:31 Português
Poesia/Tristeza Silenciosa sombra da solidão 0 60 01/10/2021 - 13:27 Português
Poesia/Amor Num piscar de olhos 0 52 01/09/2021 - 17:58 Português
Poesia/Amor Eu e você! 0 62 01/08/2021 - 11:38 Português
Poesia/Amor É você! 0 161 01/07/2021 - 12:10 Português
Poesia/Amor A delicadeza das sombras 0 54 01/06/2021 - 12:12 Português
Poesia/Intervenção Visões em desarrumo 0 65 01/05/2021 - 12:35 Português
Poesia/Meditação Não sou 0 54 01/04/2021 - 18:25 Português
Poesia/Meditação Profecia 0 51 01/04/2021 - 11:27 Português
Poesia/Desilusão Não passa de ilusão 0 51 01/02/2021 - 12:25 Português
Poesia/Meditação Desejos de Ano Novo 0 71 01/01/2021 - 11:57 Português
Prosas/Contos Após a Volta de Jesus 0 125 12/30/2020 - 12:02 Português
Poesia/Desilusão O que pensavam os dois 0 64 12/30/2020 - 11:56 Português
Poesia/Amor Quando vejo você 0 128 12/29/2020 - 12:21 Português
Poesia/Amor A essência do amor 0 48 12/29/2020 - 12:09 Português
Poesia/Amor Nunca soube dizer 0 57 12/28/2020 - 17:54 Português
Poesia/Amor É com você! 0 85 12/28/2020 - 11:52 Português
Poesia/Dedicado A rua feita de cabeças 0 47 12/26/2020 - 13:30 Português