CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Ecos distantes em nossa cabeça

Algumas vezes acontece
De sermos esquecidos pelo caminho
Quando os germes pronunciam linguagens
Temos que percorrer a nossa odisseia corriqueira
Sabendo que as palavras fervilhantes
Tomam forma quando não as estamos vigiando.

Nunca há frescor nas estações
Toda existência é bem sufocante
E quase sempre perdemos o esconderijo da infância
Não importa a nossa maturidade
Sempre haverá atrasos em nossos olhos
Porque a tristeza se esconde debaixo de nosso nariz.

Talvez no próximo ano nós conseguimos
Cumprir as resoluções de ano novo, ou nunca
Talvez nas próximas férias vejamos o por do sol
E nos livramos do perigo que sempre está com os adultos
Não importa os ecos distantes em nossa cabeça
Alguém que você não pode ver pode estar falando.

Nada nunca é o que parece ser
Você está sendo vigiado e nem percebe isso
Quando virar a próxima esquina e chegar na próxima casa
O olho do Grande Irmão está te acompanhando
Sorrateiramente vigia os seus passos trôpegos
E você não passa de mais um pontinho na tela de vigilância.

Você não me parece estranho
Apesar de não saber a sua procedência sintética
Nunca hei de virar as costas para um desconhecido
Não senhor, nunca colocarei "senhor" no final
O mundo é um lugar estranho de se viver com alguma certeza
Porque o destino de cada um pertence a cada um.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

sexta-feira, maio 31, 2024 - 13:42

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 8 horas 46 minutos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 16158

Comentários

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Canção Tudo o que desejei 6 151 07/14/2024 - 17:02 Português
Poesia/Pensamentos Palavras escritas para os perdidos 6 322 07/13/2024 - 14:36 Português
Poesia/Amor Amanhã, quem sabe? 6 149 07/12/2024 - 13:50 Português
Poesia/Desilusão O tempo faz esquecer 6 247 07/11/2024 - 14:37 Português
Poesia/Pensamentos Esquecemos o que aconteceu ontem 6 468 07/10/2024 - 16:47 Português
Poesia/Desilusão Passados recompostos 6 469 07/09/2024 - 15:15 Português
Poesia/Desilusão Fere como um punhal 6 318 07/08/2024 - 16:19 Português
Poesia/Pensamentos Que mundo criamos? 6 459 07/07/2024 - 14:34 Português
Poesia/Intervenção Convoco os poetas 8 405 07/07/2024 - 14:28 Português
Poesia/Pensamentos Todas as canções possíveis 6 615 07/05/2024 - 14:21 Português
Poesia/Dedicado Canção ao Festival de Pesca 6 247 07/04/2024 - 14:55 Português
Poesia/Amor No silêncio da noite 6 218 07/03/2024 - 23:34 Português
Poesia/Desilusão Um olhar que se foi 6 347 07/02/2024 - 17:08 Português
Poesia/Amor Para tão longo amor 6 248 07/01/2024 - 13:51 Português
Poesia/Paixão Êxtase 6 169 06/30/2024 - 14:01 Português
Poesia/Pensamentos Escravos da mentira e do vento 6 961 06/29/2024 - 15:23 Português
Poesia/Intervenção Planeta a suspirar 6 254 06/29/2024 - 01:23 Português
Poesia/Amor Sempre 6 408 06/28/2024 - 02:07 Português
Poesia/Desilusão Saudade é minha poesia 6 269 06/26/2024 - 20:35 Português
Poesia/Amor Se alguém souber 6 253 06/25/2024 - 03:50 Português
Poesia/Amor Deusa em um jardim 6 640 06/23/2024 - 14:57 Português
Poesia/Pensamentos Um tolo por acreditar 6 879 06/22/2024 - 14:07 Português
Poesia/Pensamentos A noite dos gafanhotos 8 1.057 06/22/2024 - 14:05 Português
Poesia/Pensamentos Enigmas de uma vida intensa 6 1.123 06/20/2024 - 20:08 Português
Poesia/Desilusão Desejos que acabam de partir 6 363 06/18/2024 - 23:49 Português