CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Pesadelo

Apaguei a luz e senti um calafrio
Havia um vulto
Como se houvesse uma pessoa
Em pé ao lado da cama.
Que porcaria é essa?
Pensei comigo
Num sobressalto acendi a luz
E nada havia em meu quarto
A não ser a minha solidão.
Uma indagação perpassava a minha mente
Enquanto sentia o coração pulsar acelerado.
Não sei se estava dormindo
Sonhando que estava acordado
Ou se estava acordado
Acreditando que estivesse dormindo.
Que realidade é essa?
Que pesadelo é este que tenho agora?
O que são as sensações dentro de mim
Que se digladiam a todo instante?
Quero acordar deste sono profundo
Tornar-me uma metamorfose
Viver uma transformação.
Mas, no silêncio sepulcral que sinto agora
Não há espaço para as minhas divagações.
Uma tonelada de sentimento
Afunda o meu intelecto e sinto náuseas estomacais
Que me fazem vomitar as palavras.
Espanto, então, os demônios
Que pairam sobre minha cabeça
Os enxoto sem compaixão
Pois não quero ouvir seus grunhidos
E, muito menos, ser por eles atormentados.
Fecho os olhos e tento dormir
E já não sei qual realidade estou.
Acordado para a vida eterna
Morto para a vida terrena.
Não pertenço a este lugar
E como peregrino
Sou enxovalhado pelas criaturas abomináveis
Que perturbam o meu sono.
Tapo os meus ouvidos e dou um grito:
- Cale-se, demônios do inferno!
Sem saber que os demônios
São meus próprios pensamentos.

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com.br

Submited by

quinta-feira, abril 5, 2018 - 17:54

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 7 horas 11 minutos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 3107

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Desilusão Na manhã do tempo 0 7 12/09/2018 - 13:25 Português
Poesia/Paixão Um dia quem sabe 0 13 12/08/2018 - 14:38 Português
Poesia/Desilusão A última mensagem visualizada 0 31 11/21/2018 - 21:33 Português
Poesia/Tristeza A dor do amor depois da partida 0 125 11/15/2018 - 14:20 Português
Poesia/Desilusão Poemas esquecidos numa noite qualquer 0 113 10/30/2018 - 23:47 Português
Poesia/Paixão Aceito a punição desse pecado 0 53 10/29/2018 - 23:56 Português
Poesia/Tristeza Agonia e êxtase 0 92 10/24/2018 - 23:59 Português
Poesia/Paixão Ah! Esse Desejo... 0 116 10/24/2018 - 23:11 Português
Poesia/Pensamentos Esgotamento mental 0 73 10/22/2018 - 22:33 Português
Poesia/Desilusão Coração insensível 0 194 10/13/2018 - 00:01 Português
Poesia/Tristeza Desfiladeiro 0 147 09/26/2018 - 23:48 Português
Poesia/Amor A brisa suave lá fora 0 112 09/25/2018 - 23:56 Português
Poesia/Amor Ao acordar ainda senti o seu perfume 0 82 09/25/2018 - 23:31 Português
Prosas/Contos O senhor acabou com a vida da minha mãe 0 116 09/18/2018 - 00:47 Português
Poesia/Tristeza O tempo que não passou em mim 0 143 08/31/2018 - 23:28 Português
Prosas/Drama Encontro fatal 1 251 08/02/2018 - 15:43 Português
Poesia/Meditação Na voracidade do tempo 0 525 07/04/2018 - 00:12 Português
Poesia/Meditação Escrevo e descrevo minh’alma 0 309 06/13/2018 - 00:33 Português
Poesia/Meditação Não deixe vacilar os meus pés 0 231 06/13/2018 - 00:31 Português
Poesia/Desilusão Espinhos 0 334 06/05/2018 - 19:48 Português
Poesia/Amor Veneno 0 451 06/04/2018 - 17:57 Português
Poesia/Pensamentos A dor do poeta 0 266 05/23/2018 - 19:05 Português
Poesia/Tristeza O lado escuro do sol 0 275 05/23/2018 - 02:25 Português
Poesia/Fantasia Pele morena 0 225 05/22/2018 - 02:05 Português
Prosas/Drama Nos olhos negros daquela mulher 0 274 05/21/2018 - 18:57 Português