CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Descartes e o Racionalismo - Preâmbulo (Apêndice: a Razão)


 

Num primeiro momento e de modo superficial, o Racionalismo pode ser julgado como sendo apenas uma forma de encarar a vida, o mundo e o homem de maneira fria, distanciada, “racional” e, portanto, incompleta, já que é consenso que o Ser humano é composto essencialmente de alma e físico, corpo e mente, lógica e abstração etc.

Porém, como dissemos, é um julgamento apressado e equivocado, pois o Racionalismo, desde as suas remotas origens na Grécia clássica é, na verdade, o marco inicial do “homem livre”, pois através de seu desenvolvimento o Ser humano pôde se libertar das trevas e do terror causado pelas superstições e pelas crenças infundadas.

Através do Logos é que o indivíduo descobriu-se capaz de domar os elementos e fazer da vida o melhor possível, sem que tal processo implicasse em destitui-lo de suas outras propriedades, tais como o sentimento, a intuição, a imaginação fantasiosa etc.

Nesse Ensaio percorremos a sua trajetória, enfocando principalmente o maior dos Filósofos racionalistas da Idade Moderna, Rene Descartes, sem que isso possa ser visto como um demérito para as figuras dos grandes mestres Sócrates e Platão e para as vicissitudes de antanho.

Apenas para efeito de atualização nos conceitos é que optamos em fazer essa abordagem com maior proximidade cronológica, mas sempre lembrando que a origem de seus princípios encontra-se na alvorada grega do pensamento.

Esperamos que o trabalho seja do agrado de todos.


Apêndice A Razão (cf. dicionário Aurélio):

Faculdade do Ser humano de avaliar, julgar, ponderar ideias universais, raciocínio, juízo.

Faculdade do Ser humano de estabelecer relações lógicas, de conhecer, de compreender, de raciocinar.

(Filos) faculdade superior de conhecimentos que se pretendem dotado de necessidade1e de universalidade, expressos de modo discursivo e cujos princípios são inatos ou “a priori”.

(Filos) sistema de princípios a priori, cuja verdade não depende de experiência física.

(Filos) princípio de explicação: o que dá conta de um efeito.

(Filos) faculdade de conhecer o Real (a realidade) por oposição ao que é aparente ou acidental.

Lambari, MG, 21 de novembro de 2014.

Lettré, l´art et la Culture, Rio de Janeiro, Primavera de 2014,

Submited by

sábado, novembro 22, 2014 - 20:56

Prosas :

No votes yet

fabiovillela

imagem de fabiovillela
Offline
Título: Moderador Poesia
Última vez online: há 4 anos 16 semanas
Membro desde: 05/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 6158

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of fabiovillela

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Poesia As Cidades e as Guerras - A Canção de Saigon 0 6.774 11/20/2014 - 14:05 Português
Videos/Poesia As Cidades e as Guerras - A Canção de Bagdá 0 5.870 11/20/2014 - 14:02 Português
Videos/Poesia As Cidades e as Guerras - A Canção de Sarajevo 0 8.312 11/20/2014 - 13:58 Português
Poesia/Dedicado Negra Graça Poesia 0 839 11/20/2014 - 13:54 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Final - O Contrato Social 0 914 11/19/2014 - 20:02 Português
Poesia/Dedicado A Pedra de Luz 0 616 11/18/2014 - 14:17 Português
Poesia/Amor Chegada 0 877 11/16/2014 - 14:33 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Parte XIX - A Liberdade Civil 0 536 11/15/2014 - 21:04 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Parte XVIII - A teoria da Vontade Geral 0 924 11/15/2014 - 21:01 Português
Poesia/Dedicado Partidas 0 1.059 11/14/2014 - 15:13 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Parte XVII - A transição para a Liberdade Civil 0 463 11/14/2014 - 14:06 Português
Poesia/Amor Diferenças 0 712 11/13/2014 - 20:25 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Parte XVI - A Liberdade Natural 0 1.085 11/12/2014 - 13:46 Português
Poesia/Amor Tramas 0 787 11/11/2014 - 00:47 Português
Poesia/Geral A mulher que anda nua 0 920 11/09/2014 - 15:08 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Parte XV - Emílio e a pedagogia rousseauniana 0 1.149 11/09/2014 - 14:21 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Parte XIV - A transição para o Estado de Civilização 0 579 11/08/2014 - 14:57 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Parte XIII - O homem no "Estado de Natureza" 0 550 11/06/2014 - 21:00 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Parte XII - As Artes e as Ciências 0 390 11/05/2014 - 18:47 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Parte XII - A Religião 0 710 11/03/2014 - 13:58 Português
Poesia/Geral Os Finados 0 754 11/02/2014 - 14:39 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Parte XI - O amor e o ódio 0 420 11/01/2014 - 14:35 Português
Poesia/Geral A Canção de Bagdá 0 755 10/31/2014 - 14:04 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Parte X - As grandes linhas do Pensamento rousseauniano 0 520 10/30/2014 - 20:13 Português
Prosas/Outros Rousseau e o Romantismo - Parte IX - A estada na Inglaterra e a desavença com Hume 0 1.102 10/29/2014 - 13:28 Português