CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

MATERIALIZAÇÃO DEMONÍACA

Por Felix Ribas

Lady Lilith era apenas mas um nome no orkut, uma fake intrigante sempre ativa em blogs, sites e comunidades góticas, darks e sombrias.
Com o tempo ela obteve uma certa legião de seguidores, esta mulher era um completo mistério, nunca ninguém soube seu verdadeiro nome, nunca ninguém soube sua idade, de onde vinha, sequer uma foto nunca dela foi postada na web.
Bom neste mundo de internet de tanto faz de conta ate que se faz ser normal, ate ai não parecia nada estranho apenas uma menina, mulher ou senhora sei lá, que tenha algo a perder em se expor.
Mas ela era diferente, escrevia de forma inexplicável, falava com a sabedoria de tempos ébrios, era um verdadeiro almanaque uma biblioteca sombria ambulante, sempre escrevia em um tom lúgubre, sinistro mas sempre instigante, ela era muito abiu escritora, envolvente e sedutora ao extremo.
Sempre fui por mitologia, poesia e paganismo aficionado, nunca fui de muitos amigos, nunca fui de sair muito de casa,sempre preferi a companhia dos livros, algo ate normal no mundo atual, ainda mais para quem tem gostos como os meus, poesia dark, musica gótica, querendo ou não acabamos nos tornando um tanto anti-sociais.
Mas com o passar dos anos surgiu um novo caminho, aos renegados da sociedade como eu, um portal que tornou-nos liberto a expressarmos, nossas dores, nossos pesares e nossas angustias ao mundo.
Ah! Maravilhosa internet, só ela nos deu a chance de encontrarmos com nossos iguais, nunca gostei lá muito de gente para ser sincero, mas me identifiquei com comunidades góticas e depressivas na web, meu mundo enfim fez algum sentido, senti uma masoquista alegria em ver que não era só em meu pensar e que haviam tantos outros que aos olhos da sociedade eram bem mais anormais do que eu, isto acalentou-me de certa forma.
Passei meses a ler sites sombrios, a estudar antigas escrituras e a juntar amigos virtuais com pensamentos parecidos aos meus.
Um certo dia deparei-me em meu orkut com uma mensagem de uma conhecida minha, era um belo poema mortuário que estigou-me muito ao lê-lo, casei este texto nos buscadores da web e deparei-me com o site de Lady Lilith, encantei-me de cara, nele haviam mais de 300 poemas darks e mais de 200 contos escritos e postados por ela, sobre toda a temática possível deste mundo trash, passei dias a ler suas postagens, enviei-lhe vários e-mails, a adicionei em meu orkut enfim fui um fã bem chato.
Certo dia ela adicionou-me ao seu MSN, nos demos muito, muito bem, passávamos as noites a conversar, e de forma natural a tanto em comum termos acabamos por ter uma certa atração um pelo outro. No começo era estranho, confesso nunca fui lá muito adepto deste tal namoro virtual, sexo virtual então... Bem mas mesmo assim nosso carinho cresceu, todos os dias conversávamos, trocava-mos juras de amor, coisas do tipo, incrível como a NET pode completar a gente, ela era perfeita, bem mais que eu sonhara, realmente a amava, mesmo ainda não sabendo como ela era nunca tinha visto uma foto dela sequer, só havia me dito que nossa idade era compatível e que morava perto, com o passar dos meses se tornou um tanto chato este clima de mistério, no começo me atraia mas depois de 6 meses de digamos namoro já estava cansado de apenas a imaginar, parecia muita loucura gostar, se apaixonar por alguém que nunca vi, que nunca toquei, que não havia sequer sentido seu cheiro, seu calor.
A coloquei contra a parede, exigi que se mostra-se, me declarei por ela apaixonado, enfim ela marcou um encontro disse que no carnaval podia vir a minha cidade, chegaria ao entardecer no ônibus da capital, naqueles dias ela mandou-me fotos dela e de sua suposta família, passei aquela semana que nem pensava em nada, só imaginando a sua chegada, se seriamos tão compatíveis como no MSN, estava apaixonado sim, mas a vida real é muito diferente da virtual, já havia quebrado a cara antes neste tipo de encontro mas a felicidade não vem sozinha temos que correr atrás dela, que custava tentar, não tínhamos nada a perder éramos jovens, solteiros, podia ser um amor pra vida inteira ou um ótimo fim de semana, mas não teria a culpa e dor de não ter tentado, esta dor sim que fica na nossa mente por anos e anos, uma coisa que aprendi é que se dói bem mais não tentar que não conseguir.
Enfim chegou o tão esperado dia, sai mais cedo do trabalho, vesti minha melhor roupa, fiz uma reserva no melhor hotel da cidade, morava sozinho, mas minha casa era uma espelunca queria que aquele carnaval fosse inesquecível.
Fui bem cedo para a rodoviária a esperar a hora da chegada do ônibus da capital, atrasou um pouco em lembro estava um tanto nervoso com a garganta seca, nada de anormal esta era uma situação que muito tinha imaginado mas sempre se tem medo do novo.
Enfim com cerca de 40 minutos de atraso o ônibus apontou a esquerda da rodoviária, estava eu ali parado em pé no box da rodoviária a espera de minha amada, enfim ela desceu era mais linda ainda que eu havia imaginado nunca esquecerei daquela imagem, Lilith era uma morena clara tentadora, com longos cabelos negros esvoaçantes ao vento, vestia naquela noite um longo vestido preto bem decotado que deixava a aparecer seus volumosos seios, nas pálidas mãos longas unhas pintada de um tom roxo muito escuro em seus volumosos e carnudos lábios usava também um batom negro, era o mais lindo anjo que havia a pisado neste desumano mundo, tinha um ar de anjo e de demônio não sei bem como esplicar, perdi-me aos seus encantos e por seus lindos olhos fui hipnotizado eles eram escuros como as sombras da noite, tinham um certo ar de mistério, luxuria e devassidão, ela era perfeitamente gótica em todos os sentidos possíveis, a acolhi em meus braços olhei profundamente em seus olhos e a beijei como nunca houvera beijado a outra mulher. Poderia morrer naquele estante pois já havia chegado ao paraíso, ficamos ali na rodoviária por um tempo, tínhamos tanto a falar, tanto a nos conhecer, conversamos por horas, lembro-me foi muito agradável mas já era quase meia-noite resolvemos ir para o hotel, a tão esperada hora enfim chegou, subimos ao quarto ela despiu-se lentamente, amarou-me a cama copulamos de uma forma dantesca por toda a madrugada, senti-me a ser sorvido ao seu deleite, deixe-me a ela ser entregue sem culpa, sem medo, sem pudor. Foi uma noite inesquecível, inexplicável nunca tinha conhecido alguém assim, nunca havia sentido prazer sequer semelhante com outra mulher, estávamos exauridos ao fim da noite por fim acabamos por cair no sono, não tenho idéia de o quanto de tempo eu dormira naquele dia mas quando acordei me veio a surpresa, não mais estava no hotel, acordara no meio de um enorme salão adentre a um templo de construção babilônica, achei que ainda estava a dormir, mas infelizmente desta vez não era o caso, Lilith veio a meu encontro, nesta manhã ela estava diferente, tinha um certo brilho no olhar, não parecia ser a mesma da noite anterior, comigo amarrado sobre um altar explicou-me todo o acontecido.
- Meu caro, eu sou oriunda do mal mais antigo, uma das decaídas, desde o infortúnio dilúvio, perdi minha forma humana e vago nesta terra como espectro, ao chegar deste novo milênio vi na internet minha oportunidade, tanto jovens obcecados por informação, tantas ovelhas vãs a meu deleite, web o ópio moderno a escravizar a mente dos humanos. Tenho me nutrido da dor, do medo e do pesar dos milhões de renegados que habitam as comunidades de chats da internet, inertes a solidão do mundo moderno tornaram-se vitimas fáceis ao nosso propósito.
Deves a estar com muitas duvidas meu caro, mas vós a mim se tornou diferente, embora sendo apenas um humano frágil, em seus medos e duvidas acabei por gostar de você, tanto que não o matarei, muito pelo contrario lhe darei a dádiva ou a maldição como preferir da sabedoria dos decaídos, da cultura milenar desta desumana terra, sedo-lhe o anel de Salomão, infelizmente contigo não mais poderei a junto caminhar, mas com este anel terás a todo o conhecimento da terra e o poder de ser supremo, de poder a escravizar aos homens. Agora durma meu caro ao despertar serás um novo homem.
Acordei sozinho no quarto do hotel, me sentia estranho e ao olhar a minha mão estava o tal anel, ele era de ouro com uma estranha pedra vermelha com fundo esverdeado, segundo as lendas esta era a terça parte do terceiro olho de Lúcifer que fora destruída quando Lúcifer caiu a terra como decaído, me sentia mais forte, mais rápido, ouvia e via melhor, nos primeiros dias não tinha lá muita idéia do que fazer com tal poder.
Com o passar das semanas percebi que todos como se por hipnose passaram a me reverenciar, tive uma ascensão meteórica social, de escritor de um reles jornal interiorano, em menos de um ano cheguei a produtor de TV, logo adentrei a política, tornei-me senador, e enfim presidente, com aquele anel eu era irresistível, possuía um certo magnetismo que encantava a todos que estavam ao meu redor, sim era uma sensação maravilhosa a de ter todos aos meus pés.
Mas certa noite me veio a sentença, novamente Lilith a mim veio visitar, desta vez já não como a linda gótica que eu conhecera mas era apenas um bravio demônio alado, adentrou ao meu quarto em forma espectral, posuil-me de forma inexplicável, perdi aos sentidos, quando acordei do transe haviam se passado a cerca de uma semana, o mundo já ardia em chamas, os decaídos haviam feito mais 9 presidentes, assim tendo o poder sobre as principais nações da terra, em um ataque enfadonho abduziram a todos nós e declararam a 3º guerra mundial, infelizmente ao despertarmos já era muito tarde, com as bombas atômicas 1/3 da terra já havia sido exterminada, o mundo foi coberto por um negro manto de poeira e morte, nos dias que se seguiram os próprios mortais acabaram por fazer o resto do serviço, foi um onda de saques, estupros, e assassinatos sem razão o homem acabara por se alto condenar ao extermínio, enfim os decaídos tiveram a sua vingança por seu extermínio da forma humana durante o dilúvio.
Mas ainda sobrara algumas dezenas de milhares de proles humanas nesta terra devastada, após 6 meses da explosão da 1° bomba nuclear, enfim os anjos do senhor vieram a acudir nosso planeta. Desceram dos céus em corcéis espectrais, eram algumas dezenas de milhares, um verdadeiro exercito celestial, assim começara a batalha do amageddon, por semanas os exércitos celestiais combateram aos demônios por toda a crosta terrestre, esta abissal embate se estendeu por muitos meses. Ate que as tropas dos decaídos já muito enfraquecidas resolveram a abandonar o campo de batalha, assim voltando ao seu império no sub-mundo.
A terra aos poucos começara a ser reconstruída, mas eu, bem fui condenado por ajudar aos demônios em seu plano, fui linchado e enforcado em praça publica na nova inquisição.
Por meus pecados, fui enviado ao sub-mundo, hoje tornei-me mais um dos demônios da Legião dos de Lúcifer, e aguardo uma nova chance de poder dominar a terra.
Pobre homem sempre repete seus erros mais banais, em sua incansável busca por divindade, por popularidade, e sempre inerte a luxuria e a vaidade, voltou aos mesmos abetos de outrora hoje eu com meus companheiros voltamos a internet em busca de mentes frágeis, e com potencial a darmos a chance de nos vingarmos dos prediletos do Nazareno. Somos espectros, somos o mundo, as sombras, seus sonhos e pesadelos, quando tiveres medo, quando fraquejares ou sentir solidão lá nós estaremos na primeira oportunidade a escravizar a sua alma.

Submited by

domingo, março 7, 2010 - 16:17

Prosas :

No votes yet

admin

imagem de admin
Offline
Título: Administrador
Última vez online: há 1 semana 3 dias
Membro desde: 09/06/2010
Conteúdos:
Pontos: 44

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of admin

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Amizade PORTUGAL 6 27.442 06/11/2019 - 08:35 Português
Poesia/Gótico Não me olhes 7 13.993 11/27/2012 - 23:50 Português
Poesia/Geral Não fui eu 5 5.219 03/24/2012 - 13:25 Português
Pintura/Paisagem PORTO 4 7.975 11/23/2011 - 11:36 Português
Poesia/Geral Quem sabe acender uma fogueira sabe amar uma mulher 4 9.335 02/18/2011 - 11:27 Português
Videos/Perfil 1153 0 3.044 11/24/2010 - 22:10 Português
Videos/Perfil 794 0 2.961 11/24/2010 - 22:03 Português
Videos/Perfil 793 0 4.303 11/24/2010 - 22:03 Português
Videos/Perfil 791 0 3.861 11/24/2010 - 22:03 Português
Videos/Perfil 740 0 3.950 11/24/2010 - 22:02 Português
Videos/Perfil 697 0 4.186 11/24/2010 - 22:02 Português
Videos/Perfil 732 0 3.283 11/24/2010 - 22:01 Português
Videos/Perfil 587 0 3.001 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 585 0 4.107 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 580 0 3.297 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 553 0 3.295 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 552 0 3.155 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 551 0 3.760 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 550 0 3.935 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 549 0 3.945 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 548 0 4.534 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 547 0 3.568 11/24/2010 - 21:59 Português
Videos/Perfil 495 0 3.786 11/24/2010 - 21:58 Português
Videos/Perfil 494 0 3.539 11/24/2010 - 21:58 Português
Videos/Perfil 493 0 3.862 11/24/2010 - 21:58 Português