CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Anelado em giz

Anelado em giz

 

 

 

Quero encontrar um amparo na sombra do teu nome,
na vista de um campo, um arbusto.

Quero te amar, ser raro, sem a ronda que come um
artista santo e ver seu lindo busto.

Quero seu apoio pra manter incorporado e feliz e me
alinhar deitado no seu chão.

Não quero ser o joio e nem ser anelado em giz pra
sonhar como coitado sem pão.

Não é minha caneta injusta e irresponsável, queria
arrastá-la só pra esse propósito.

Pra rimar palavras e pensar como é dado lugar a um
sofrimento desnecessário e insólito.

Quem poderia ser o artesão do sofrimento tão rude
que desenhou com uma mão criminosa.

Sou um desmamado de um retrato que esperava
uma musa ou o endereço da rainha manhosa.

Temia um raio vindo da sua mão justiceira e direta.
Mas foi minha caneta que te criou???

Não vou restaurar justiça e me manter sem punição
pois minha mente já atordoou.

Seus vícios também eram gananciosos com pitada de
arrogância, mas deixou lembranças.

Passo a ti meu coração no papel que redijo e assino,
se meu espírito acordar sem caneta te visito na
primavera e quero que namore comigo e me chame
de menino.

Levarei flores e deixarei de ser réu.
Destruirei o tempo que fui fel.

Seguirei guiado pelas minhas veias, independente da
maneira que andares ou se serei uma presa fácil em
sua teia...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

http://poetadefranca.blogspot.com/
O NOVO POETA. (W.Marques).

Submited by

sábado, outubro 22, 2011 - 23:29

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

onovopoeta

imagem de onovopoeta
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 ano 28 semanas
Membro desde: 04/19/2009
Conteúdos:
Pontos: 1469

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of onovopoeta

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos Santo do pau oco 0 956 11/03/2018 - 21:51 Português
Poesia/Geral Gemas acabrunhadas 0 757 10/19/2018 - 14:06 Português
Poesia/Geral Receio do remate 1 1.703 10/15/2018 - 16:47 Português
Poesia/Meditação Talvez um anjo 1 1.074 10/15/2018 - 16:46 Português
Poesia/Meditação Oscilação 1 1.687 10/15/2018 - 16:45 Português
Poesia/Geral Dito-cujo 2 1.080 10/15/2018 - 16:43 Português
Poesia/Geral Abstrato 2 1.434 03/15/2018 - 09:42 Português
Poesia/Amor Sobejar de paixão 2 693 03/15/2018 - 09:41 Português
Poesia/Geral Beiços de homens 1 730 02/27/2018 - 11:37 Português
Poesia/Meditação Morte e vida 1 1.582 02/27/2018 - 11:36 Português
Poesia/Amor Pétalas do amor 1 969 01/22/2018 - 14:58 Português
Poesia/Meditação 10 graças 1 1.047 05/29/2016 - 13:03 Português
Poesia/Geral Sinfônica saúde 0 871 04/22/2016 - 15:02 Português
Poesia/Geral Santas descabidas 0 909 02/21/2016 - 20:22 Português
Poesia/Amor Vinho triste 0 1.237 02/21/2016 - 20:20 Português
Poesia/Amor Lucidez abstrusa 0 1.680 12/24/2015 - 12:19 Português
Poesia/Geral Oportunista 0 949 11/07/2015 - 22:42 Português
Poesia/Geral Fluidos mínimos 0 1.068 09/23/2015 - 11:55 Português
Poesia/Geral Mortos odoríferos 0 1.307 07/21/2015 - 11:30 Português
Poesia/Amor Princesa do gueto (A morte da princesa). 0 1.429 06/13/2015 - 19:21 Português
Poesia/Meditação Dias encafifados 0 1.289 04/29/2015 - 12:07 Português
Poesia/Amor Amor de seis rimas 0 1.418 03/27/2015 - 12:29 Português
Poesia/Geral Mortos do vaso 0 1.251 02/15/2015 - 13:26 Português
Poesia/Amor Memórias de girasol 0 1.092 01/15/2015 - 11:12 Português
Poesia/Fantasia Luzes dos lampiros 0 1.172 12/23/2014 - 14:55 Português