CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Carta de Alforria

Chorei intensamente
Tua ausência
Um dia!

Lembro-me de minha aflição,
Do meu desespero,
Que agonia!

teu nome.
Teu rosto,
Que covardia!

Sofri demais,
Derramei rios de lágrimas,
Que melancolia!

O tempo passou,
Ficou outrora,
O amor não reinou,
Como reina agora!

Depois de tantos anos,
De tantos desenganos,
Que alegria!

O amor brotou,
Está presente
Em minha mente!

Novo amor conheci,
Finalmente compreendi
Que eras passado!

De ti não guardo mágoas,
Foi tão somente alegoria...
Finalmente de ti obtive,
Minha carta de alforria!

Submited by

segunda-feira, novembro 30, 2009 - 02:25

Poesia :

No votes yet

imelo

imagem de imelo
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 18 horas 20 minutos
Membro desde: 09/09/2009
Conteúdos:
Pontos: 1175

Comentários

imagem de FlaviaAssaife

Re: Carta de Alforria

imelo,

O que passou ficou lá traz...È de fato necessário nos libertarmos para que novos amores possam surgir...

Gostei muito do texto. Parabéns!

imagem de Gisa

Re: Carta de Alforria

Que bom quando novas oportunidades aparecem, para trazer felicidade! Abraços

imagem de RobertoEstevesdaFonseca

Re: Carta de Alforria

O amor tem muitas coisas boas, mas também tem coisas desfavoráveis, como por exemplo o que relatas ao pé do teu poema.

Então, reflito:

"Se deixar, o amor pode inclusive, escravizar."

Beleza de poema. Parabéns.

Um abraço,
REF

imagem de MarneDulinski

Re: Carta de Alforria

LINDO POEMA, GOSTEI!

De ti não guardo mágoas,
Foi tão somente alegoria...
Finalmente de ti obtive,
Minha carta de alforria!

Meus parabéns,
MarneDulinski

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of imelo

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Gótico SOCIOPATIA 0 30 04/06/2020 - 04:55 Português
Poesia/Geral ÚLTIMOS SUSPIROS 0 11 04/05/2020 - 19:20 Português
Poesia/Geral ALMA DESNUDA 0 29 03/31/2020 - 23:56 Português
Poesia/Geral SUBJETIVISMO 0 26 03/31/2020 - 00:57 Português
Poesia/Soneto CIÚME 0 36 03/30/2020 - 03:28 Português
Poesia/Geral O PENSAMENTO 0 32 03/27/2020 - 00:10 Português
Poesia/Geral VETORIAIS 0 57 03/25/2020 - 05:00 Português
Poesia/Soneto VIÇO 0 52 03/24/2020 - 05:13 Português
Poesia/Soneto DIA FESTIVO 0 55 03/24/2020 - 02:51 Português
Poesia/Soneto BILATERAL 0 29 03/23/2020 - 04:17 Português
Poesia/Soneto SINTOMAS 0 56 03/21/2020 - 22:26 Português
Poesia/Soneto VESTÍGIOS 0 34 03/21/2020 - 21:51 Português
Poesia/Soneto PRINCÍPIOS 0 48 03/21/2020 - 02:29 Português
Poesia/Soneto INSTANTES ÚLTIMOS 0 36 03/20/2020 - 02:58 Português
Poesia/Geral DÚVIDAS 0 52 03/17/2020 - 03:26 Português
Poesia/Geral VÍRUS 0 69 03/14/2020 - 02:17 Português
Poesia/Soneto VEREDAS ÍNTIMAS 0 39 03/12/2020 - 02:46 Português
Poesia/Soneto MUNDO CÃO 0 110 03/11/2020 - 05:18 Português
Poesia/Amor SONATA DE AMOR 0 39 03/09/2020 - 01:56 Português
Poesia/Soneto O MUNDO 0 36 03/09/2020 - 00:02 Português
Poesia/Geral AUTOCÍDIO 0 108 03/08/2020 - 18:43 Português
Poesia/Soneto SAUDOSISMO 0 50 03/07/2020 - 04:02 Português
Poesia/Soneto MAR DE TERRA 0 61 03/06/2020 - 03:42 Português
Poesia/Soneto JUÍZO 0 93 03/01/2020 - 03:47 Português
Poesia/Geral INEXORÁVEIS 0 88 02/29/2020 - 01:40 Português