CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A dor fria

Nao sei se deveria,
nem sei se poderia,
romper essa funebre calmaria
e gritar à fúria dos Elementos
as dores e os tormentos
de tua toda ausência
em minha semi existência.

Não sei se poderei chamar-te namorada.
Pois agora tudo é nada
e nesse tempo de incerteza,
em que a dúvida é a certeza,
ignoro até o poema que te farei
e como te direi,
do tanto de carinho
que escrevo nesse pós pergaminho.

E tanto mais não sei, moça do Rio ...
mas sei que faz frio
e já sinto a dor anunciada
como amante indesejada.

Até quando
levarei esse corpo mulambo?
Onde estará
a panacéia que me curará?
Por onde andará
meu santo orixá?
Não sei!
Que um anjo me guarde
e que um alivio me aguarde.

Submited by

sábado, abril 10, 2010 - 00:46

Poesia :

No votes yet

fabiovillela

imagem de fabiovillela
Offline
Título: Moderador Poesia
Última vez online: há 3 anos 34 semanas
Membro desde: 05/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 6158

Comentários

imagem de LilaMarques

Re: A dor fria

Fabio Vilela,

Belo poema versando sobre a tristeza! O sentir-se já quase perdido em tão grande mundo... nossa "sorte" é que, poetas, transformamos o que nos dói tanto em beleza e dividimos com o leitor a nossa mesa.

Um grande abraço,
Lila.

imagem de marialds

Re: A dor fria

"A dor fria", num canto de tristeza que pede a um anjo que o guarde do triste destino.
Belo poema.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of fabiovillela

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Tristeza A Canção de Alepo 0 2.152 10/01/2016 - 22:17 Português
Poesia/Meditação Nada 0 1.726 07/07/2016 - 16:34 Português
Poesia/Amor As Manhãs 0 1.485 07/02/2016 - 14:49 Português
Poesia/Geral A Ave de Arribação 0 1.477 06/20/2016 - 18:10 Português
Poesia/Amor BETH e a REVOLUÇÃO DE VERDADE 0 1.589 06/06/2016 - 19:30 Português
Prosas/Outros A Dialética 0 2.242 04/19/2016 - 21:44 Português
Poesia/Desilusão OS FINS 0 1.854 04/17/2016 - 12:28 Português
Poesia/Dedicado O Camareiro 0 2.811 03/16/2016 - 22:28 Português
Poesia/Amor O Fim 1 1.593 03/04/2016 - 22:54 Português
Poesia/Amor Rio, de 451 Janeiros 1 1.566 03/04/2016 - 22:19 Português
Prosas/Outros Rostos e Livros 0 1.657 02/18/2016 - 20:14 Português
Poesia/Amor A Nova Enseada 0 2.018 02/17/2016 - 15:52 Português
Poesia/Amor O Voo de Papillon 0 1.266 02/02/2016 - 18:43 Português
Poesia/Meditação O Avião 0 1.305 01/24/2016 - 16:25 Português
Poesia/Amor Amores e Realejos 0 2.223 01/23/2016 - 16:38 Português
Poesia/Dedicado Os Lusos Poetas 0 1.474 01/17/2016 - 21:16 Português
Poesia/Amor O Voo 0 1.493 01/08/2016 - 18:53 Português
Prosas/Outros Schopenhauer e o Pessimismo Filosófico 0 2.341 01/07/2016 - 20:31 Português
Poesia/Amor Revellion em Copacabana 0 1.695 12/31/2015 - 15:19 Português
Poesia/Geral Porque é Natal, sejamos Quixotes 0 1.550 12/23/2015 - 18:07 Português
Poesia/Geral A Cena 0 1.784 12/21/2015 - 13:55 Português
Prosas/Outros Jihadismo: contra os Muçulmanos e contra o Ocidente. 0 1.623 12/20/2015 - 19:17 Português
Poesia/Amor Os Vazios 0 2.728 12/18/2015 - 20:59 Português
Prosas/Outros O impeachment e a Impopularidade Carta aberta ao Senhor Deputado Ivan Valente – Psol. 0 1.033 12/15/2015 - 14:59 Português
Poesia/Amor A Hora 0 2.350 12/12/2015 - 16:54 Português