CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

As Grandes Guerras

Pai,
eu não deixei de acreditar em ti.
Apesar das circunstancias
e comportamentos
apontarem para essa conclusão.
Ainda me enches o coração.
E hás-de sempre enchê-lo.
É o intelecto pai...
Está cheio de coisas.
Neste momento é como
aquelas arrecadações
que mal se abre a porta
nos cai tudo nos pés.
E imperativo
Como sabes,
Não ser só no coração
que teres de caber.
Há uma parte da ideia de tudo
que representas,
que tem existir no intelecto.
Na sua parte pensante e analitica.
E quando a realidade
atafulha-nos intelecto
com coisas que tu dar-he-ias o nome
de coisas futeis,
resta pouco espaço para manobrar
a ideia que tenho de ti e seguir directo ao coração....
Ou ao Contrário.
Eu não deixei de acreditar em ti Pai,
Acredita!
 

Submited by

segunda-feira, julho 4, 2011 - 10:07

Poesia :

No votes yet

Outro

imagem de Outro
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 anos 4 semanas
Membro desde: 03/02/2010
Conteúdos:
Pontos: 884

Comentários

imagem de SuzeteBrainer

Gostei muito, como

Gostei muito, como poeticamente foi expressado o conflito do que é dito "religioso" com as dúvidas em que a mente analítica processa. Existe um caminho que podemos interagir com a fé e a razão,senti que o teu poema percorreu por ele.

Abraçosmiley

imagem de Outro

Obrigado

Mais uma vez obrigado Suzete. Sentiste exactamente o mesmo que me fez escrevê-lo....

A Fé, Crença , acreditar  ou seja o nome que lhe quisermos dar , é uma corda bamba a poucos centimetros do chão.

Se cairmos, não nos magoarmos, mas se conseguirmos percorrer a corda toda , há qualquer coisa que nos faz sentir bem em fazê-lo. Mais uma vez obrigado pelo teu comentario. Bjs,

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Outro

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Ao volante do Chevrolet pela estrada de Sintra- Álvaro de Campos -Poema Pintado- Paint sobre Paint 0 1.508 01/17/2018 - 21:11 Português
Poesia/Geral O Astro Rei 0 1.419 01/14/2018 - 16:14 Português
Poesia/Geral Imagina lá tu... 0 2.143 01/14/2018 - 15:54 Português
Poesia/Geral Alfanumérico 0 1.824 01/13/2018 - 12:56 Português
Poesia/Geral Raízes 0 1.130 01/11/2018 - 17:45 Português
Poesia/Geral Inteligência Artificial 0 1.339 01/07/2018 - 18:32 Português
Poesia/Geral Canção ás Minhas 3 Meninas 0 1.196 01/02/2018 - 10:13 Português
Poesia/Geral contemplamento 0 1.162 01/01/2018 - 16:27 Português
Poesia/Amor Livros 0 1.522 12/15/2017 - 15:06 Português
Poesia/Geral As Grandes Guerras 2 2.101 07/27/2011 - 13:36 Português
Poesia/Geral Patetice 4 2.098 07/27/2011 - 13:17 Português
Poesia/Geral Palavras Caídas 0 1.926 07/27/2011 - 12:45 Português
Poesia/Geral Palavreados 0 1.768 07/05/2011 - 12:23 Português
Poesia/Geral Hermético 0 3.259 06/19/2011 - 21:54 Português
Poesia/Geral Sinapse em Tilt 0 2.943 06/05/2011 - 10:57 Português
Poesia/Geral Convite Para Lançamento de Livro 0 3.098 05/18/2011 - 17:38 Português
Poesia/Geral Não Tenho Titulo Para Isto 13 2.512 04/27/2011 - 14:23 Português
Poesia/Geral Os Encalhados 4 3.034 04/27/2011 - 08:17 Português
Poesia/Geral Silêncios 4 1.908 04/17/2011 - 22:44 Português
Poesia/Geral Escrito Por Todos Nós 0 2.496 03/17/2011 - 15:45 Português
Poesia/Geral In Perfeição 3 1.579 03/15/2011 - 21:50 Português
Poesia/Geral Valium 1 2.695 03/12/2011 - 23:44 Português
Poesia/Geral "Tu" 0 2.431 03/12/2011 - 15:37 Português
Poesia/Geral "Porque a Galinha Atravessa a Estrada?" 0 2.248 03/12/2011 - 14:53 Português
Poesia/Geral "Eu" 1 1.937 03/10/2011 - 23:51 Português