CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

PSICOSE?

PSICOSE?
I
Sinceramente não suporto a solidão dos prédios
(Nem os ruídos das cidades)
que simbolizam o peso bruto
da heterogeneidade das classes sociais
Acreditando no significado  melodioso das folhas verdes das palmeiras
Variáveis posição e cor
( chamado ritmo tropical)
Como poderei conseguirei cantar pedaços de pedra betonada
Mumificadoras das multidões  habitantes de suas entranhas
Ou glorificar o asfalto mártir dos pés e automóveis citadinos?
Um sofá onde encaixo ancas e costas, outro para colocar os pés
Espero a inspiração o grito de uma Musa
Estou lento e sem reflexos
Penso no que escrevo  porque rabisco o que não sinto
HORRORIZA-ME A PONTE SOBRE O TEJO (COMENDO ESPAÇOS COM GOELAS DE AÇO)
HORIZONTES AZUIS SEM PALMEIRAS
Palmeiras, palmeiras, palmeiras
Qualquer psiquiatra ditaria: SOFRE DE NEUROSE TROPICAL
Não
Saudade-se sente-se é saudade a neurose não é porque não sabe a ausência
Quem ama a cidade é amante  de pedras e cimento
As pedras da floresta choram com musgo com capim e o lacrau nasce sob ela
É
Um calhau com vida!
O cimento magoa não agrada aos olhos
por violar um tecto celeste em noites cerradas
Estrelas candentes bailando num espaço vazio...

Serei filósofo, poeta ou psicopata?
Chamastes-me inadaptados, meu amor?
Apenas sou lama das bolanhas
Bago dos arrozais
O pipilar dos malaguetas!
Assemelhe-me ao poilão solitáioMas não é um hábito
Hábito de frade franciscano não me representa
Diariamente me ofereço voluntário para orgias voluptuosas postas nas palavras em forma de poema
Só acredito em irmandades de igualdade e democracia
E não desejo fazer penitência envergando um hábito
Basta-me tomar esta aparência repousada e  pacifica
Sou antes e talvez um termoacumulador
III
Minha amante adultera de um casal sem paz gritou no auge dum orgasmo:
Amo teus olhos lindos
Um poilão com olhos verdes?
Nunca vi...

Riam-se desta afirmação
Chorem.se
Rasguem-me que não conseguem
Colham apenas estas páginas
E podem utilizá-las até num beiral da retrete
Mas tomem uma atitude
Eu já me afirmei
Atitudes não se tomam, comem-se,digerem-se e arrotam-se.
III
Atitude do Homem das cavernas:
Menino coma com as mãos
Atitude do homem de salão:
Menino coma com colher
ATITUDE DESTAS CRIANÇAS: NENHUMA
Atitude de uma Mãe numa rua de Lisboa:
Ai menino cuidado ficas debaixo dum autocarro!
O autocarro é tão pesado para uma criança
Mas há muitas com carros de combate em cima
É tudo tão pesado para a Criança( atitude do poeta)
Não será o poeta uma eterna criança esmagado pelo peso destes prédios de betão armado?
Não serei um panzer pesadamente imaginário 
ou mais um navio fantasma
Sim sim
Eu aqui junto à serra de Sintra
tão difusa de mim
Sou sim .
um navio fantasma
rumo a um Paraiso Tropical

Submited by

segunda-feira, julho 9, 2012 - 14:12

Poesia :

Your rating: None (2 votes)

António Leite de Magalhães

imagem de António Leite de Magalhães
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 7 anos 16 semanas
Membro desde: 07/02/2012
Conteúdos:
Pontos: 220

Comentários

imagem de Rafael Neves

Irá crescer. Irá ser flor.

Irá crescer. Irá ser flor. Irá amar
Irá lembrar que por baixo das chaminés
Das casas, dos carros, do cimento e dos esgotos
Ainda há terra viva
Os amores impossíveis acontecem

imagem de Teresa Almeida

Neste paraíso há um ritmo

Neste paraíso há um ritmo tropical que nos prende.
Cantamos com as folhas verdes das palmeiras e,
por outro lado, sentimo-nos esmagados com o peso do betão armado.

Parabéns António.
Abraço.

imagem de Filomena Iria

Sou antes e talvez um termoacumulador

Sou antes e talvez um termoacumulador diz esta a quem diagnosticaram D.P. Limitrofe. identifico-me, mas psicoticos são os outros que se enquadram nos cenários de cimento, nós caro amigo somos poetas! o mundo precisa de nós!

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of António Leite de Magalhães

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Erótico POEMAS SECOS 0 612 10/30/2012 - 01:06 Português
Poesia/Dedicado POEMAS SECOS 0 532 10/19/2012 - 15:11 Português
Poesia/Dedicado Antologia%20da%20Poesia%20Negra%20de%20Express%C3%A3o%20Portuguesa%20-%20Infop%C3%A9dia 0 664 10/19/2012 - 14:45 Português
Poesia/Amor POEMAS SECOS 0 560 10/18/2012 - 22:51 Português
Poesia/Erótico POEMAS SECOS 0 642 10/15/2012 - 23:54 Português
Poesia/Erótico hoje dormi e sonhei 2 520 10/15/2012 - 23:52 Português
Poesia/Erótico EROS 1 562 10/13/2012 - 22:28 Português
Poesia/Meditação não sei às vezes 0 570 10/10/2012 - 17:36 Português
Poesia/Canção Garota de Parnaiba 0 658 10/07/2012 - 17:31 Português
Poesia/Erótico Tu 0 723 10/07/2012 - 17:26 Português
Poesia/Amizade Minas Gerais 0 557 10/07/2012 - 16:57 Português
Poesia/Desilusão POEMAS SECOS 0 534 09/25/2012 - 06:03 Português
Poesia/Erótico até sentir teu mar em mim 0 804 09/23/2012 - 18:04 Português
Poesia/Erótico poemassecos 0 620 09/18/2012 - 18:03 Português
Poesia/Intervenção PORTUGAL DESHONRADO 0 472 09/16/2012 - 19:39 Português
Poesia/Canção POEMAS SECOS 0 603 09/14/2012 - 16:23 Português
Poesia/Meditação POEMAS SECOS 0 662 09/10/2012 - 17:18 Português
Poesia/Dedicado POEMAS SECOS 0 1.121 09/09/2012 - 18:19 Português
Poesia/Canção POEMAS SECOS 0 674 09/09/2012 - 17:26 Português
Poesia/Erótico POEMAS SECOS 0 683 09/09/2012 - 17:19 Português
Prosas/Pensamentos te vejo 1 529 09/08/2012 - 17:54 Português
Poesia/Intervenção PORTUGAL DESHONRADO 0 559 09/08/2012 - 16:28 Português
Poesia/Intervenção PORTUGAL DESHONRADO 0 532 09/08/2012 - 16:28 Português
Poesia/Desilusão relatório 0 483 09/07/2012 - 16:15 Português
Poesia/Desilusão relatório 0 495 09/07/2012 - 16:15 Português