CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Desculpa Se Sou Puta -Parte 1 - Capítulo 3

Todos os castigos trazem um pecado antigo,
o meu agarrou-se às minhas pernas,
morde-as, beija-as, arranha-as numa caricia prepotente...
Um dia tomei uma decisão, mas as decisões não se deixam tomar
sem um namoro prévio...

Inês Dunas : A Fábula da Bela Adormecida e da cobra
http://librisscriptaest.blogspot.pt/2011/04/fabula-da-bela-adormecida-e-...

Após o choque inicial e após ter constatado que tanto o ciclista como eu estávamos bem, P. apressou-se a resguardar-me dentro do veículo, no lugar do pendura, daquela confusão, com a promessa a A. que me levaria ao hospital como precaução necessária após tal embate.
Eu, por mim estava pouco me ralando para o que quer que fosse. É certo que tanto o meu joelho direito como a minha cabeça doíam, mas sabia de antemão que este não era o momento de me armar em frágil.
Quando a situação se resolveu ele regressou imperturbável à viatura, batendo a porta delicadamente e enquanto punha o cinto explicou o seu plano:
-Eu penso que seja necessário ir ao hospital, no entanto se não quiseres…-Aconselhou ele a olhar para o rasgão que a bicicleta fizera no joelho esquerdo.
-Não quero! – Apressei-me a responder, escondendo com a mão esquerda o rasgão.
P. sorriu ao de leve e após uns segundos exclamou:
-Ok, levo-te a casa!
-Não está ninguém em casa. A minha mãe foi trabalhar.
-Bom, mas precisas desinfectar isso.
-Não tenho chaves de casa. – Menti eu sem saber o que raio dizia.
Os tremores no meu corpo continuavam e não eram devido ao choque mas á presença da mão dele sobre o meu joelho:
-Posso ver se está inchado?
-Como?
-Sou enfermeiro. Só pretendo apalpar
-Sim. – Consenti eu nervosa.
Senti o suave aperto da mão sobre a rótula, senti o polegar a mexer em círculos e senti o aftershave dele a invadir os meus sentidos. Ironia das ironias era igual ao que o meu pai sempre usava o “Chrome” da Azarro, o frasquinho azul com que eu brincava nas mãos enquanto o via a fazer a barba, naquele modo tão solene próprio de quem realiza uma tarefa importante. Inadvertidamente pousei a mão sobre a dele e gemi, mais de prazer que de dor.
Estava absolutamente descontrolada e talvez tenha sido por isso que finquei as unhas na sua mão
-Dói? – Indagou ele preocupado.
-Não…- Respondi apressadamente.
Por segundos os nossos olhos se cruzaram e estava perfeitamente à espera de tudo. Naquele preciso momento não uma criança frágil, magoada devido a um acidente parvo e encharcada pela chuva e pela queda. Ali, nesse instante eu era uma mulher assediada por um homem charmoso e capaz das maiores loucuras. Instintivamente dei-lhe um beijo ao de leve no pescoço e imediatamente me arrependi. O gesto pareceu de certa forma o ter assustado, pois sentou-se muito direito e arrancou com o carro, olhando em volta como se estivesse com receio de ter sido visto a ser beijado.
Enquanto circulávamos a pouca velocidade ia pensando no que dizer ou no que fazer. Pela segunda vez na presença de um cota não tinha qualquer reacção. Embaraçada e envergonhada pensei em pedir desculpas, em lhe explicar que foi o seu perfume que me levou aquele acto, mas em vez disso, soltei:

http://rabiscosdealma.blogspot.pt/2015/01/desculpa-se-sou-puta-parte-1-capitulo-3.html

Submited by

sábado, fevereiro 7, 2015 - 11:18

Prosas :

No votes yet

Mefistus

imagem de Mefistus
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 ano 19 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 3083

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Mefistus

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Prosas/Tristeza Era Tarde ! 2 410 10/05/2009 - 18:59 Português
Prosas/Outros Apenas um Jogo? 1 369 10/05/2009 - 00:45 Português
Prosas/Lembranças Em Outubro, nunca se sabe 2 478 10/04/2009 - 23:18 Português
Poesia/Erótico Momento 11 683 10/04/2009 - 23:00 Português
Prosas/Mistério Alma 3 768 10/03/2009 - 23:47 Português
Poesia/Desilusão Rosa Negra 5 726 10/02/2009 - 22:06 Português
Poesia/Geral Sonho Contigo 8 534 10/02/2009 - 16:32 Português
Prosas/Lembranças Medo 2 2.045 10/02/2009 - 11:18 Português
Prosas/Pensamentos Direito ao Deserto 6 646 10/02/2009 - 10:02 Português
Poesia/Paixão Olho Parasita! 11 978 10/02/2009 - 09:59 Português
Poesia/Intervenção Treta 7 496 10/02/2009 - 01:28 Português
Prosas/Terror Fantasma 4 635 10/01/2009 - 15:30 Português
Poesia/Meditação Sacrificio 8 821 10/01/2009 - 14:45 Português
Poesia/Tristeza Solidão 11 723 10/01/2009 - 12:17 Português
Poesia/Tristeza Dor de Morte 10 485 10/01/2009 - 12:13 Português
Prosas/Contos O delirio de Raind - Parte II 1 805 10/01/2009 - 11:33 Português
Prosas/Romance Solta-se um beijo 2 625 10/01/2009 - 11:27 Português
Prosas/Pensamentos Sou...(2) 1 861 10/01/2009 - 11:26 Português
Prosas/Pensamentos Nada existe de grandioso sem paixão 1 833 10/01/2009 - 11:21 Português
Poesia/Canção Rock da Vareja 6 1.180 10/01/2009 - 10:53 Português
Poesia/Paixão Fumos 5 398 10/01/2009 - 04:42 Português
Prosas/Pensamentos Sou... 0 630 09/29/2009 - 14:36 Português