Epidemia mais cruel

Epidemia mais cruel

Somos o maior vírus da floresta.

A bactéria da corrupção.

Somos o mal explorando os
irmãos.

O demônio da pedofilia.

O verme com taras escondidas.

A doença assassina que compra
jovens meninas.

O bicho que enriquece sem dó
e sem prece.

O ser que ainda escraviza o pobre.

O ser sem camisa ou de tudo que
não tem e precisa.

A epidemia nova e com modos
operantes e diferenciados.

O H1n1 que mata em pouco tempo.

O cruel que deixa de ser um ser sem
sentimentos.

O tiro que acerta a toda hora com o pré
conceito da desigualdade.

O sórdido que esconde a verdade.

O ser que mata com o descaso, o
poderoso que se descobre o fútil
miserável e horroroso dentro de si.

A praga mais constante, os seres que
agrupam-se pra roubar-te com o ar
honroso.

Que canta o hino esticado e entusiasmado.

O câncer já por todo o sempre esparramado.

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques).

Submited by

Miércoles, Agosto 19, 2009 - 16:14

Poesia :

Sin votos aún

onovopoeta

Imagen de onovopoeta
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 1 año 21 semanas
Integró: 04/19/2009
Posts:
Points: 1469

Comentarios

Imagen de HaiderChaby

Re: Epidemia mais cruel

a verdade sempre bem dita do teu lado, grande inspiraçao, duras palavras. gostei imenso

Imagen de analyra

Re: Epidemia mais cruel

é verdade. O pior...sem previsão de vacina...
Mas há uma esperança, quem sabe as almas poéticas se levantam e o mundo muda?
Não podemos é deixar de agir em movimento contrário no nosso micro universo.
Beijos

Imagen de MariaSousa

Re: Epidemia mais cruel

O Homem é tudo isso, sim!

Compete-nos a nós, a cada um de nós fazer a diferença,

Gostei deste poema.

Bjs

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of onovopoeta

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Poesia/Pensamientos Santo do pau oco 0 881 11/03/2018 - 21:51 Portuguese
Poesia/General Gemas acabrunhadas 0 706 10/19/2018 - 14:06 Portuguese
Poesia/General Receio do remate 1 1.589 10/15/2018 - 16:47 Portuguese
Poesia/Meditación Talvez um anjo 1 961 10/15/2018 - 16:46 Portuguese
Poesia/Meditación Oscilação 1 1.608 10/15/2018 - 16:45 Portuguese
Poesia/General Dito-cujo 2 1.010 10/15/2018 - 16:43 Portuguese
Poesia/General Abstrato 2 1.361 03/15/2018 - 09:42 Portuguese
Poesia/Amor Sobejar de paixão 2 601 03/15/2018 - 09:41 Portuguese
Poesia/General Beiços de homens 1 665 02/27/2018 - 11:37 Portuguese
Poesia/Meditación Morte e vida 1 1.483 02/27/2018 - 11:36 Portuguese
Poesia/Amor Pétalas do amor 1 850 01/22/2018 - 14:58 Portuguese
Poesia/Meditación 10 graças 1 939 05/29/2016 - 13:03 Portuguese
Poesia/General Sinfônica saúde 0 817 04/22/2016 - 15:02 Portuguese
Poesia/General Santas descabidas 0 864 02/21/2016 - 20:22 Portuguese
Poesia/Amor Vinho triste 0 1.124 02/21/2016 - 20:20 Portuguese
Poesia/Amor Lucidez abstrusa 0 1.613 12/24/2015 - 12:19 Portuguese
Poesia/General Oportunista 0 872 11/07/2015 - 22:42 Portuguese
Poesia/General Fluidos mínimos 0 993 09/23/2015 - 11:55 Portuguese
Poesia/General Mortos odoríferos 0 1.259 07/21/2015 - 11:30 Portuguese
Poesia/Amor Princesa do gueto (A morte da princesa). 0 1.329 06/13/2015 - 19:21 Portuguese
Poesia/Meditación Dias encafifados 0 1.200 04/29/2015 - 12:07 Portuguese
Poesia/Amor Amor de seis rimas 0 1.351 03/27/2015 - 12:29 Portuguese
Poesia/General Mortos do vaso 0 1.146 02/15/2015 - 13:26 Portuguese
Poesia/Amor Memórias de girasol 0 999 01/15/2015 - 11:12 Portuguese
Poesia/Fantasía Luzes dos lampiros 0 1.099 12/23/2014 - 14:55 Portuguese