Silêncios

 

 

Há num compasso de espera
Entre estar vivo e a morte
Onde o acontece aparece
E nos formata,
Nos reformula inteiramente.
Há num compasso de espera
No mais banal dia das nossas vidas
Que se prestarmos atenção 
À melodia do existir
Deixaremos de dar importancia
A pequenos ruídos de fundo.
Caminhamos em apressados passos
Numa partitura que desconhecemos por
Inteiro a que tipo de composição fazemos parte.
Estes compassos de espera
São os não menos importantes silêncios
Que existem em todas as composições musicais
Que por milésimos de segundo ou mais
Nos farão decidir se vamos dançar
Enquanto as desenrolamos,
Ou seremos meramente
Mecânicas semibreves ,
Breves, colhcheias e etc
Que se hão de repetir
Pela nossa melodia fora,
Ou se haverá um dia
Que nos daremos a liberdade
De improvisar
Sem tirar a harmornia
Ao todo a que todos soamos.

Carlos Cabecinha
 

Submited by

Sábado, Abril 16, 2011 - 11:41

Poesia :

Sin votos aún

Outro

Imagen de Outro
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 2 años 37 semanas
Integró: 03/02/2010
Posts:
Points: 884

Comentarios

Imagen de SuzeteBrainer

Para mim,a tua poesia é uma

Para mim,a tua poesia é uma composicão onde as palavras apontam um sentido reflexivo que melodicamente silencia o "lugar comum".

Há tempo que gosto muito de te ler e hoje não fiquei só no silêncio da boa leitura...

Gostei muitosmiley

Imagen de Outro

Silêncios

Obrigado Suzete. Jamais poderia de forma silenciosa idem, te dizer que me sinto lijondeassímo pelo teu comentário.

As palavras têm o seu tempo dentro do próprio tempo. Encaixam nos silêncios harmoniosamente. È um bocado como brincar com Legos. E o que eu tu e todos nós aqui gostamos de fazer notoriamente, é brincar com a metrica a sonoridade e o conteúdo espalhando palavras por este espaço.

Imagen de MarneDulinski

Silêncios

 

Lindo e maravilhoso o seu poema, gostei muito!

Um abraço,

MarneDulinski

Imagen de Outro

Silencios

Muito Obrigado Marle. Não te poderia agradecer "Silenciosamente".

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of Outro

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Poesia/General Ao volante do Chevrolet pela estrada de Sintra- Álvaro de Campos -Poema Pintado- Paint sobre Paint 0 1.131 01/17/2018 - 22:11 Portuguese
Poesia/General O Astro Rei 0 1.168 01/14/2018 - 17:14 Portuguese
Poesia/General Imagina lá tu... 0 1.866 01/14/2018 - 16:54 Portuguese
Poesia/General Alfanumérico 0 1.459 01/13/2018 - 13:56 Portuguese
Poesia/General Raízes 0 869 01/11/2018 - 18:45 Portuguese
Poesia/General Inteligência Artificial 0 1.085 01/07/2018 - 19:32 Portuguese
Poesia/General Canção ás Minhas 3 Meninas 0 941 01/02/2018 - 11:13 Portuguese
Poesia/General contemplamento 0 918 01/01/2018 - 17:27 Portuguese
Poesia/Amor Livros 0 1.295 12/15/2017 - 16:06 Portuguese
Poesia/General As Grandes Guerras 2 1.773 07/27/2011 - 14:36 Portuguese
Poesia/General Patetice 4 1.805 07/27/2011 - 14:17 Portuguese
Poesia/General Palavras Caídas 0 1.684 07/27/2011 - 13:45 Portuguese
Poesia/General Palavreados 0 1.529 07/05/2011 - 13:23 Portuguese
Poesia/General Hermético 0 2.976 06/19/2011 - 22:54 Portuguese
Poesia/General Sinapse em Tilt 0 2.712 06/05/2011 - 11:57 Portuguese
Poesia/General Convite Para Lançamento de Livro 0 2.848 05/18/2011 - 18:38 Portuguese
Poesia/General Não Tenho Titulo Para Isto 13 2.256 04/27/2011 - 15:23 Portuguese
Poesia/General Os Encalhados 4 2.697 04/27/2011 - 09:17 Portuguese
Poesia/General Silêncios 4 1.731 04/17/2011 - 23:44 Portuguese
Poesia/General Escrito Por Todos Nós 0 2.186 03/17/2011 - 16:45 Portuguese
Poesia/General In Perfeição 3 1.341 03/15/2011 - 22:50 Portuguese
Poesia/General Valium 1 2.449 03/13/2011 - 00:44 Portuguese
Poesia/General "Tu" 0 2.026 03/12/2011 - 16:37 Portuguese
Poesia/General "Porque a Galinha Atravessa a Estrada?" 0 1.926 03/12/2011 - 15:53 Portuguese
Poesia/General "Eu" 1 1.653 03/11/2011 - 00:51 Portuguese