CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

“LUZ AO FUNDO”

 

Aventura branca, símbolo de papel

Chama tão manifesta confissão

Que, habilidosa luz, ao fundo do túnel

Acolhe motivo, parte coração

 

Vénias experimentadas, ao silêncio convertido

Quando no peito se faz mar de empenho tempestuoso

Que logo descontento se haverá vertido

Por um avanço, relevo que pareça virtuoso

 

Selam-se cerimónias e leviandades

De poucas crenças, paixões escorregadias

Varrem-se memórias, nascem amizades

Com luz, no amanhã de todos os dias

 

Desperdício lhe mereça a insistência perdida

Abandonada ao campo, de gesto simulada

Se de Império, a palavra é vencida

Estátua esculpida, Tarefa sepultada

 

Luz ao fundo da veia, pela carne consumida

Luz ao fim, escorrida da santidade

Luz, que seja, sonho ou convertida

Luz que diga, enfim, Saudade.

***

Submited by

terça-feira, abril 12, 2011 - 00:32

Poesia :

No votes yet

antonioduarte

imagem de antonioduarte
Offline
Título: Moderador Poesia
Última vez online: há 48 semanas 2 dias
Membro desde: 01/09/2010
Conteúdos:
Pontos: 2570

Comentários

imagem de MarneDulinski

Lindo texto, gostei

Lindo texto, gostei muito!

Destaco a estrofe final abaixo:

Luz ao fundo da veia, pela carne consumida

Luz ao fim, escorrida da santidade

Luz, que seja, sonho ou convertida

Luz que diga, enfim, Saudade.

***

Meus parabéns,

MarneDulinski

imagem de antonioduarte

Obrigado amigo

Obrigado amigo Marne,

Enfim,o poema nasceu como algo que se queria iluminar; mas, derrepente assenhoreou-se de si; tomando propoções completamente diferentes daquilo que do meu sentimento partia. Não permiti que se desperdiçasse e aqui está, assim... Como algo que é na realidade das coisas visiveis e invisiveis.Cabe a cada maneira de ver, assim comentar.

Para um bom entendedor meia palavra basta.

Agradeço a participação do meu amigo e, como sempre:

Grande abraço.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of antonioduarte

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Soneto “Cheguei Tardio” 4 1.459 03/15/2018 - 11:17 Português
Poesia/Poetrix “Quadra a ti” Acto 7º 1 918 06/13/2014 - 23:54 Português
Poesia/Soneto “Delicado” 3 1.245 12/04/2013 - 22:15 Português
Prosas/Lembranças “Tornado Pedra” 0 1.784 11/07/2013 - 02:30 Português
Poesia/Soneto “Terra” 0 2.211 11/07/2013 - 02:02 Português
Poesia/Soneto “Milagre de Flores” 0 1.137 04/03/2013 - 03:00 Português
Poesia/Haikai Quadra a ti” Acto 5º 0 2.028 03/22/2013 - 05:17 Português
Poesia/Soneto “Ecos Distantes” 0 1.503 02/22/2013 - 01:16 Português
Poesia/Soneto “Tantos… Tantos” 0 1.141 01/10/2013 - 04:34 Português
Poesia/Haikai “Quadra a ti” - ( Ato 6º ) 0 1.051 10/24/2012 - 15:11 Português
Poesia/Haikai "Quadra a ti: ( Géneros Distraídos) 0 1.697 10/24/2012 - 14:56 Português
Poesia/Amor “Numa lembrança de ti” 2 1.165 10/23/2012 - 16:35 Português
Prosas/Pensamentos "Sobra de Mim" 0 1.590 10/22/2012 - 23:21 Português
Poesia/Soneto “De Mim, Fundo No Olhar” 0 1.278 10/18/2012 - 23:47 Português
Poesia/Soneto “Porte Belo” 0 999 10/07/2012 - 13:09 Português
Poesia/Soneto “Míopes” 0 912 10/04/2012 - 21:55 Português
Poesia/Soneto “Perto do Céu” 4 1.950 10/03/2012 - 23:52 Português
Poesia/Arquivo de textos “Quando estás longe de mim” 2 1.219 10/03/2012 - 23:35 Português
Poesia/Soneto Ao despertar 0 2.118 10/03/2012 - 23:22 Português
Poesia/Soneto “Na Praia” 0 1.277 09/30/2012 - 11:53 Português
Poesia/Soneto "Caminho de Parecer" 1 2.104 09/27/2012 - 16:37 Português
Poesia/Meditação “Do céu ao mar” 1 1.721 09/16/2012 - 18:06 Português
Poesia/Arquivo de textos Versão destrocida: "Numa Lembrança de ti" 0 2.022 09/12/2012 - 11:58 Português
Poesia/Arquivo de textos “Estrela Proibida” 0 1.031 09/09/2012 - 22:04 Português
Poesia/Pensamentos “Teu rosto foi o primeiro” 0 1.751 08/04/2012 - 02:02 Português