CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Abre os olhos, fala comigo

Em memória do meu pai que faleceu a 01-11-2001

Só acreditei quando vi a vela em chamas
e flores mortas para colorir o luto por ti
Sufoquei ao perceber que jamais acordavas
deixaste-te adormecer pelo último sono de um qualquer mortal.
Gritei com raiva ”insanamente”, mas cada palavra que dizia
fugia, arrastada pelo forte vento que se sentia.
E ninguém me ouvia,
Corri com toda a força,
sem destino nem direcção, pressionado por um impulso
para o qual não encontro explicação.
Talvez síndrome de uma esquizofrenia,
talvez a única forma de aceitar
e libertar toda a raiva e dor alojada em mim.
A sala parecia um jardim, com um odor intenso
que ate hoje não consigo esquecer.
Tu em pinho e linho deitado, fato axadrezado
e embalado num sono sem fim.
Abre os olhos, fala comigo,
peço-te baixinho, mas nada.
Pego-te na mão, e conto-te todos os meus segredos,
peço ajuda para enfrentar todos os meus medos.
Peço desculpa pelo homem que sou.
Dou-te o abraço que nunca dei.
E despeço-me angustiado
com um beijo em testa fria
que me gela os lábios
e deixa o sabor amargo
do ultimo adeus
da tua partida

Submited by

sexta-feira, outubro 30, 2020 - 19:10

Poesia :

No votes yet

PoetaouNao

imagem de PoetaouNao
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 semana 7 horas
Membro desde: 10/22/2020
Conteúdos:
Pontos: 18

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of PoetaouNao

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Dedicado Abre os olhos, fala comigo 0 32 10/30/2020 - 19:10 Português
Poesia/Geral Como um pente que nos penteia 0 40 10/23/2020 - 07:39 Português
Poesia/Pensamentos Sou apenas mais um corpo 0 45 10/22/2020 - 15:33 Português
Musica/Rock Drowning under the water 0 41 10/22/2020 - 13:28 inglês