CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Aleijados pelo tempo

Os amaldiçoados irão brilhar
Muito mais do que as estrelas da manhã
E aqueles que ainda tem
Os olhos fechados para o mundo
Serão arrancados de seus casulos
Sem dó nem piedade alguma.

Os herdeiros dos tormentos do rock'n roll
Serão expurgados de seus casebres
Como pragas que devoram as lavouras
E nunca mais terão tempo de sobra
Para fazerem suas canções perturbadoras
Que martelam cérebros incapazes.

Os descampados de tanto sofrimento
Aleijados pelo tempo de espera
Serão feitos reféns em salas fechadas
Para que possam pensar sobre suas vidas
E lembrarem onde exatamente erraram
Para que pudessem sofrer amarguras.

Os aventureiros das noites escuras
Que espreitam suas vítimas adormecidas
Terão seus olhos vazados com agulhas
E seus cérebros arrancados com as mãos
Porque não podem mais coexistir
Com os santos que perambulam na cidade.

Os artistas que tentam sobreviver
Que labutam na solidão pela sua arte
Hão de ultrapassar as barreiras invisíveis
Da ignorância humana e ir além
Porque não se pode apagar da memória
As coisas eternas da verdadeira arte.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

sexta-feira, fevereiro 23, 2024 - 13:13

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 10 horas 48 minutos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 15926

Comentários

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos Um tolo por acreditar 6 161 06/22/2024 - 14:07 Português
Poesia/Pensamentos A noite dos gafanhotos 8 243 06/22/2024 - 14:05 Português
Poesia/Pensamentos Enigmas de uma vida intensa 6 343 06/20/2024 - 20:08 Português
Poesia/Desilusão Desejos que acabam de partir 6 287 06/18/2024 - 23:49 Português
Poesia/Amor Ao pôr do sol no cais 6 256 06/17/2024 - 23:47 Português
Poesia/Pensamentos As distâncias do mundo 6 811 06/16/2024 - 13:12 Português
Poesia/Desilusão Em cada despedida 6 302 06/15/2024 - 13:12 Português
Poesia/Desilusão O vento levou 6 215 06/14/2024 - 21:14 Português
Poesia/Meditação Dez pragas terríveis 6 191 06/13/2024 - 23:07 Português
Poesia/Amor Teu amor é jardim em flor 6 176 06/12/2024 - 22:31 Português
Poesia/Poetrix Saudades 6 436 06/12/2024 - 04:07 Português
Poesia/Desilusão Recordo-me da morena 6 357 06/11/2024 - 03:10 Português
Poesia/Desilusão Ruminando os pedaços 6 259 06/09/2024 - 13:07 Português
Poesia/Meditação Confusão mental 6 592 06/07/2024 - 13:46 Português
Poesia/Amor E a saudade se foi 6 375 06/06/2024 - 12:09 Português
Poesia/Pensamentos Um mistério em cada esquina 6 886 06/05/2024 - 22:18 Português
Poesia/Amor Você é a razão 6 240 06/04/2024 - 20:23 Português
Poesia/Amor No olhar dela 6 331 06/04/2024 - 12:04 Português
Poesia/Amor Se o amor não faz parte 6 232 06/04/2024 - 02:43 Português
Poesia/Pensamentos Caminhos desconhecidos 6 1.056 06/03/2024 - 20:38 Português
Poesia/Dedicado Ser poeta é... 6 248 06/02/2024 - 13:53 Português
Poesia/Amor Mil segredos temos nós 6 292 06/01/2024 - 13:42 Português
Poesia/Pensamentos Ecos distantes em nossa cabeça 6 1.068 05/31/2024 - 13:46 Português
Poesia/Amor Só não sei como te dizer 6 270 05/30/2024 - 20:17 Português
Poesia/Meditação Ignorância 6 334 05/29/2024 - 22:05 Português