CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Bordel de Sangue

Frio... A Lua cheia, rente ao Mar, beija-lhe a tona,
Bati na porta dum bordel, o céu retinto,
E embriagada no saguão desse recinto
Decrépita a aparição duma velha dona.

Era a Morte, um aparente ar de marafona;
Brindava champanhe rosé, ou então, vinho tinto,
Sangue  puro com o gosto amargo de absinto
Pra posar com lasso perfil duma madona.

Entre a penumbra do luar nós dois sozinhos,
Os arredores do local sempre quietinhos,
Na calada da noite encontro a luz de vela;

Era o fim!... Mas igual a um ávido consorte
Naquela pose tão sensual beijei a Morte,
Indo ali mesmo perecer nos lábios dela.

Submited by

terça-feira, abril 19, 2011 - 18:56

Poesia :

No votes yet

Charles Antônio Marques Pereira

imagem de Charles Antônio Marques Pereira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 anos 7 semanas
Membro desde: 04/14/2011
Conteúdos:
Pontos: 373

Comentários

imagem de Susan

Um beijo diferentemente do

Um beijo diferentemente do convencional 

aquele em quem brindou com a morte 

a tua sorte existencial ....

Texto forte mas muito bom de se ler !!!!

Um beijo 

Susan

imagem de deborabenvenuti

Bordel de Sangue

Era a Morte, aparente ar de marafona;
Brindava talvez champanhe, senão, vinho tinto,
Sangue com gosto amargo de absinto
Para posar com lasso perfil duma madona.

Gostei dos versos. Muito bem elaborados. Dão uma sensação gélida da presença da morte numa noite em que até a lua parece fria.

Beijo,

imagem de MarneDulinski

Bordel de Sangue

Lindo poema, mas me assustei com você, virgem, aruda e guiné, tres batidas de coco e uma de pé!

Meus parabéns,

MarneDulinski

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Charles Antônio Marques Pereira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Soneto Sagrada Escritura 2 925 05/20/2013 - 22:17 Português
Poesia/Soneto Meu Deus! 2 549 05/20/2013 - 21:56 Português
Poesia/Soneto Emoções 4 906 04/16/2012 - 18:58 Português
Poesia/Soneto Eu quero amar, amar perdidamente! (III) 2 1.000 04/07/2012 - 18:26 Português
Poesia/Soneto Eu quero amar, amar perdidamente! (IV) 1 867 04/01/2012 - 15:58 Português
Poesia/Soneto Eu quero amar, amar perdidamente! (II) 2 970 03/28/2012 - 22:52 Português
Poesia/Soneto Eu quero amar, amar perdidamente! (I) 4 1.191 03/24/2012 - 18:22 Português
Poesia/Soneto Relato de um Suicídio 2 825 03/21/2012 - 00:15 Português
Poesia/Soneto Eu quero amar, amar perdidamente! (V) 0 983 08/25/2011 - 19:45 Português
Poesia/Soneto Eu quero amar, amar perdidamente! (VII) 0 1.108 08/17/2011 - 22:47 Português
Poesia/Soneto Eu quero amar, amar perdidamente! (IX) 0 815 08/12/2011 - 01:22 Português
Poesia/Soneto Eu quero amar, amar perdidamente! (VIII) 0 931 08/12/2011 - 01:17 Português
Poesia/Soneto Ouvir Estrelas 2 1.130 07/24/2011 - 22:13 Português
Poesia/Soneto Tudo é Inútil! 0 1.088 07/23/2011 - 18:49 Português
Poesia/Soneto Com a Útima Mulher da Nossa Vida 0 810 07/22/2011 - 20:18 Português
Poesia/Soneto "Amantes, Amentes" 0 955 06/21/2011 - 19:21 Português
Poesia/Soneto Leito de Morte 0 799 06/21/2011 - 19:12 Português
Poesia/Soneto Filosofia de Morte 3 1.152 06/09/2011 - 19:03 Português
Poesia/Soneto Depressão 0 752 06/06/2011 - 01:12 Português
Poesia/Soneto Nordeste 0 777 06/06/2011 - 01:05 Português
Poesia/Soneto A Beatinha do Meu Bairro 0 762 06/06/2011 - 00:59 Português
Poesia/Soneto Miragem 0 768 06/06/2011 - 00:53 Português
Poesia/Soneto Epopéia 0 764 06/06/2011 - 00:48 Português
Poesia/Geral Nação Madrasta 2 778 05/02/2011 - 21:04 Português
Poesia/Haikai Lágrimas 0 766 04/24/2011 - 18:55 Português