CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

DE QUEM NÃO PERDOA …

Dor que doa silêncios,

que arde à toa pela proa de sombras
que abalroa o meu pensar.

Saudade devoluta,

enxuta sede

a desperdiçar areias de quem não perdoa
pelas goelas do tempo.

Maldita dor que a poesia me enrouca,

que em mim louca agita insípidas lágrimas,
desdita chuva ácida de cardos que no meu olhar grita.

Despedida inacabada,
desconcerto que me arranca as estrelas do céu,

despida morte que me enroupa de frio
e pálidos véus de solidão.

Adeus que me esbofeteia e arrepia,

aceno que me esvazia a luz de todos os gestos,
ausência que me conduz e guia rumo ao precipício. 

Crespa maré de lascas na escuridão,
zumbido que me enche as mãos de nada,

perdido destino no fel de borrascas de insónia
que me finta e pinta desesperos na pele da madrugada.

Amarga batalha entre sonhos desarmados
e realidades armadas de pesadelo.

Verbo que é sem sê-lo,
desgastante tralha de culpas
que a alma ralha e trova em mim.

Dor de não amar,

essa coisa ruim que dita o meu fim,

essa ruindade que rói as unhas do meu ser.
.
.
.
.

Submited by

sábado, abril 6, 2013 - 21:56

Poesia :

Your rating: None (5 votes)

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 1 semana
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Comentários

imagem de Henricabilio

entre sonhos &

entre sonhos & pesadelos,
existe a dor a comprovar
que estamos vivos.

Saudações!

_Abilio.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.786 06/11/2019 - 08:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.542 03/06/2018 - 20:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.155 02/28/2018 - 16:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.077 02/10/2015 - 21:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.938 02/03/2015 - 19:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 3.942 02/02/2015 - 20:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.620 02/01/2015 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.652 01/31/2015 - 20:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.284 01/30/2015 - 22:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.800 01/30/2015 - 20:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.148 01/29/2015 - 21:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.313 01/29/2015 - 18:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.595 01/29/2015 - 00:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.754 01/28/2015 - 23:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.015 01/28/2015 - 20:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.834 01/27/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.655 01/27/2015 - 15:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.637 01/26/2015 - 19:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.835 01/25/2015 - 21:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.524 01/22/2015 - 21:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.414 01/21/2015 - 17:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.353 01/20/2015 - 18:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.399 01/19/2015 - 20:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.719 01/17/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.603 01/16/2015 - 19:47 Português