CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

(Des)encontros

Que olhares desfigurados,
Que vida débil e desamparada
Caminhos incertos de uma alma desolada
Afinidades de gestos afortunados.

Erros, de um erro passado
Promessas de um futuro antecipado
Versos de ambiguidade
Onde permanece a saudade.

Tu, ser obstinado
De doçura amarga implacável
De direitos e fraqueza admirável,
Comigo partilhaste o espaço desaforado.

Da tua triste ironia
Capto a essência da verdade
De dois mundos fora de sintonia
Onde vislumbro tremenda e fútil falsidade.

Num abraço apertado,
Nunca antes realizado
Levo-te de maneira inconsciente
Perco-te de maneira ciente...

Não te espero, não te chamo,
Nesta minha rebelde solidão
Falsamente te amo
Verdadeiramente tens minha gratidão.

Submited by

domingo, outubro 23, 2011 - 23:23

Poesia :

No votes yet

Dinarte

imagem de Dinarte
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 8 anos 31 semanas
Membro desde: 10/23/2011
Conteúdos:
Pontos: 15

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Dinarte

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Acrósticos Mentiras 0 271 10/23/2011 - 23:27 Português
Poesia/Tristeza Olhar 0 231 10/23/2011 - 23:25 Português
Poesia/Desilusão (Des)encontros 0 241 10/23/2011 - 23:23 Português