CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Em algum lugar que eu nunca estive (Cummings)

Em algum lugar em que eu nunca estive,alegremente além
de qualquer experiência,teus olhos têm o seu silêncio:
no teu gesto mais frágil há coisas que me encerram,
ou que eu não ouso tocar porque estão demasiado perto

teu mais ligeiro olhar facilmente me descerra
embora eu tenha me fechado como dedos, nalgum lugar
me abres sempre pétala por pétala como a Primavera abre
(tocando sutilmente,misteriosamente)a sua primeira rosa

ou se quiseres me ver fechado, eu e
minha vida nos fecharemos belamente,de repente,
assim como o coração desta flor imagina
a neve cuidadosamente descendo em toda a parte;

nada que eu possa perceber neste universo iguala
o poder de tua imensa fragilidade: cuja textura
compele-me com a cor de seus continentes,
restituindo a morte e o sempre cada vez que respira

(não sei dizer o que há em ti que fecha
e abre; só uma parte de mim compreende que a
voz dos teus olhos é mais profunda que todas as rosas)
ninguém, nem mesmo a chuva,tem mãos tão pequenas
 

Edward Eastlin Cumrnings, que literariamente sempre assinou, e.e. cummings (em caixa baixa) (1894-1962), poeta e pintor norte-americano. Poema traduzido por Augusto de Campos.

 

Submited by

sexta-feira, outubro 28, 2011 - 12:34

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

AjAraujo

imagem de AjAraujo
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 ano 11 semanas
Membro desde: 10/29/2009
Conteúdos:
Pontos: 15584

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of AjAraujo

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Dedicado A charrete-cegonha levava os rebentos para casa 0 1.142 07/08/2012 - 22:46 Português
Poesia/Meditação A dor na cor da vida 0 649 07/08/2012 - 22:46 Português
Poesia/Dedicado Os Catadores e o Viajante do Tempo 1 1.372 07/08/2012 - 00:18 Português
Poesia/Alegria A busca da beleza d´alma 2 1.368 07/02/2012 - 01:20 Português
Poesia/Dedicado Amigos verdadeiros 2 3.053 07/02/2012 - 01:14 Português
Poesia/Meditação Por que a guerra, se há tanta terra? 5 863 07/01/2012 - 17:35 Português
Poesia/Intervenção Verbo Vida 3 1.250 07/01/2012 - 14:07 Português
Poesia/Meditação Que venha a esperança 2 893 07/01/2012 - 14:04 Português
Poesia/Intervenção Neste Mundo..., de "Poemas Ocultistas" (Fernando Pessoa) 0 1.234 07/01/2012 - 13:34 Português
Poesia/Intervenção Do Eterno Erro, de "Poemas Ocultistas" (Fernando Pessoa) 0 2.513 07/01/2012 - 13:34 Português
Poesia/Intervenção O Segredo da Busca, de "Poemas Ocultistas" (Fernando Pessoa) 0 608 07/01/2012 - 13:34 Português
Poesia/Dedicado Canções sem Palavras - III 0 731 06/30/2012 - 22:24 Português
Poesia/Intervenção Seja Feliz! 0 1.336 06/30/2012 - 22:14 Português
Poesia/Meditação Tempo sem Tempo (Mario Benedetti) 1 1.278 06/25/2012 - 22:04 Português
Poesia/Dedicado Uma Mulher Nua No Escuro 0 1.520 06/25/2012 - 13:19 Português
Poesia/Amor Todavia (Mario Benedetti) 0 875 06/25/2012 - 13:19 Português
Poesia/Intervenção E Você? (Charles Bukowski) 0 1.133 06/24/2012 - 13:40 Português
Poesia/Aforismo Se nega a dizer não (Charles Bukowski) 0 1.059 06/24/2012 - 13:37 Português
Poesia/Aforismo Sua Melhor Arte (Charles Bukowski) 0 865 06/24/2012 - 13:33 Português
Poesia/Tristeza Não pode ser um sim... 1 613 06/22/2012 - 15:16 Português
Poesia/Aforismo Era a Memória Ardente a Inclinar-se (Walter Benjamin) 1 582 06/21/2012 - 17:29 Português
Poesia/Amizade A Mão que a Seu Amigo Hesita em Dar-se (Walter Benjamin) 0 1.213 06/21/2012 - 00:45 Português
Poesia/Aforismo Vibra o Passado em Tudo o que Palpita (Walter Benjamin) 0 1.475 06/21/2012 - 00:45 Português
Poesia/Aforismo O Terço 0 639 06/20/2012 - 00:26 Português
Poesia/Desilusão De sombras e mentiras 0 0 06/20/2012 - 00:23 Português