CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

GRITOGRAFIA

Gritografo
o farol do meu ser bem
aquém expectável vinco fausto
de alerta insuficientemente apressado
neste hálito animal que encaracolo poesia.

Salvo
o profundo
de um escândalo profano
açoitado por constrangimento
assumido num vórtice de apelos.

Vaio-me
riso em quedas voláteis
que me espancam nos bastidores
do terror de uma indulgência poeta.

Caminho
desordem na anarquia
das palavras que desdenham
decrepitamente meu depoimento de fogo
hipotético em ataques patéticos ao amanhã.

Faleço
insusceptível
mercadoria nas garras letais
do destino no espasmo das emoções.

Arrebito
em bolhas curtas
de verão dual em cada chuva
de Agosto no sol de inverno cadáver
no volume dos meus gritos bibliografados.

Sou artesão
de dimensões loucas
arquitectadas na pedra vil
dos meus sacrifícios sem saber.

Invertido
sofrer numa névoa
de morte a pouco e pouco
que procuro nos meus olhos
devaneados de intenso assobio
num surripio que reabre a verdade.

Submited by

domingo, janeiro 10, 2010 - 01:04

Poesia :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 anos 17 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Comentários

imagem de jopeman

Re: GRITOGRAFIA

dolorosa a grafia do grito do poeta que demanda por melhores dias nesta névoa em que se morre pouco a pouco

gostei bastante

abraço

imagem de MarneDulinski

Re: GRITOGRAFIA

Mestre Henrique!

Conforme MP, aguardando, mesmo sem a total certeza de traduzi-lo como gostaria, gostei demais!
Meus parabéns,
Marne

imagem de marialds

Re: GRITOGRAFIA

Lindo, um dos teus poemas que gosto muito.

imagem de RobertoEstevesdaFonseca

Re: GRITOGRAFIA

Parabéns pelo belo poema.

Gostei.

Um abraço,
REF

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 35.972 06/11/2019 - 09:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.176 03/06/2018 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 1.830 02/28/2018 - 17:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 1.819 02/10/2015 - 22:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.610 02/03/2015 - 20:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 1.335 02/02/2015 - 21:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 1.422 02/01/2015 - 22:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.406 01/31/2015 - 21:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 1.946 01/30/2015 - 23:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.510 01/30/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 1.811 01/29/2015 - 22:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 1.108 01/29/2015 - 19:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.227 01/29/2015 - 01:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 1.247 01/29/2015 - 00:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 1.349 01/28/2015 - 21:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.541 01/27/2015 - 22:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.272 01/27/2015 - 16:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.273 01/26/2015 - 20:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 1.466 01/25/2015 - 22:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.156 01/22/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.202 01/21/2015 - 18:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.029 01/20/2015 - 19:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.130 01/19/2015 - 21:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.425 01/17/2015 - 23:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.309 01/16/2015 - 20:47 Português