CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

LÁ ONDE MORO

Onde moro é o melhor lugar do mundo
Nem lembro que outros lugares existem
Durmo um sono tranqüilo e profundo
Sonhando com as estrelas que me assistem

Cada um faz de si mesmo a segurança
Misturando a inocência com malícia
Certas coisas já não tenho na lembrança
Por exemplo, o telefone da polícia

Dos políticos há sempre o que se falar
Do judiciário e do presidente
Nas eleições sem querer tenho que votar
Para garantir o emprego dessa gente

Por lá não se vê ninguém pedindo esmola
Nem super-herói de máscara ou capa
Se na prefeitura existe patrola
Minha rua não deve existir no mapa

Super-heróis só funcionam no cinema
Mas se tornassem real uma façanha
Onde moro não entrariam em cena
Pois não gostamos de ver lá gente estranha

Meu lazer é pegar na pá e na enxada
Só tendo o sol lá em cima de parceiro
Pois quando passa por lá uma enxurrada
Deixa de herança o entupimento do meu bueiro

Lá não existe fanatismo religioso
Ainda se ouve cedo o cantar dos galos
O sabiá é o nosso cantor mais famoso
Vaidade de homem é ter mãos cheias calos

Assim vamos sobrevivendo nos dias
Que só com suor ficam menos opacos
Coisas boas chegam somente em fatias
As ruins vão sempre chegando aos nacos

Lá o futuro se esconde em escuro manto
Tem amanhecer com geada, chuva, orvalho
Em minha casa faz milagre um santo
"Eu" que me aposentei por meu trabalho.

Sérgio Teixeira
Brasil/Bagé/RS

Submited by

sexta-feira, abril 12, 2013 - 13:25

Poesia :

No votes yet

Sérgio Teixeira

imagem de Sérgio Teixeira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 horas 10 minutos
Membro desde: 01/24/2011
Conteúdos:
Pontos: 401

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Sérgio Teixeira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral DÉCIMAS DO MAL QUE FEZ A PAZ MUNDIAL 2 201 03/27/2020 - 00:51 Português
Poesia/Geral ANALISTA DE MIM MESMO 0 69 03/17/2020 - 13:38 Português
Poesia/Soneto SONETO DO MORTO VIVO 1 243 02/29/2020 - 02:04 Português
Poesia/Soneto SONETO DA EXPERIÊNCIA 0 257 02/17/2020 - 16:52 Português
Poesia/Soneto SONETO DO ACASO 0 97 02/07/2020 - 10:45 Português
Poesia/Geral INÚTIL SABER (DÉCIMAS) 0 240 01/22/2020 - 21:41 Português
Fotos/Pessoais LIVRO RECENTE 0 105 01/05/2020 - 13:06 Português
Fotos/Pessoais LIVRO RECENTE 0 122 01/05/2020 - 12:59 Português
Poesia/Geral AGONIA DO ANO 0 114 12/29/2019 - 23:45 Português
Poesia/Geral DEVANEIO 2 476 12/22/2019 - 11:08 Português
Poesia/Geral ADEUS À PRIMAVERA 0 283 12/22/2019 - 10:36 Português
Poesia/Geral O IDÓLATRA 0 128 11/10/2019 - 16:29 Português
Poesia/Geral RIMAS COM SINAIS 0 225 10/16/2019 - 00:35 Português
Poesia/Soneto SONETO DO SER INVISÍVEL 2 404 10/02/2019 - 22:54 Português
Poesia/Geral SUPERSTIÇÃO (SEXTA-FEIRA TREZE) 1 359 09/13/2019 - 16:22 Português
Poesia/Geral SENTIMENTOS E CORES 1 392 08/19/2019 - 12:00 Português
Poesia/Geral MEU TEMPO, MEU REINO 2 391 08/18/2019 - 18:38 Português
Poesia/Geral SOLSTÍCIO DE INVERNO 2 564 06/23/2019 - 11:42 Português
Poesia/Geral CANTO, SILÊNCIO E LIBERDADE 3 610 06/03/2019 - 11:39 Português
Poesia/Soneto SONETO AO EXPEDICIONÁRIO "SEU ZÉCA" 0 427 05/05/2019 - 13:35 Português
Poesia/Geral OS SONS DO TEMPO 0 421 04/27/2019 - 15:12 Português
Poesia/Tristeza AS FLORES FIÉIS 0 394 04/12/2019 - 18:07 Português
Poesia/Geral A ILUSÃO DE SER POETA 2 500 04/04/2019 - 18:50 Português
Poesia/Geral MUITO ALÉM DO MÊS DE ABRIL 0 424 04/01/2019 - 23:10 Português
Poesia/Geral QUANDO O SILÊNCIO AUMENTA 0 330 03/27/2019 - 11:11 Português