CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

LUGAR DE OLHOS …

Sinto as estrelas nervosas.

Vejo-as cintilantes.
Invejo-as preguiçosas pela velhice do tempo.

Pachorrentas como um açoite de lentidão
à velocidade da noite.

Toco-as através do vento
que ouço no silêncio da escuridão.
Sinto-as como almas dispersas pela multidão do infinito.

Lá longe… ali coladas ao eco da eternidade.

Desenhando para sempres.
Ali postos como estátua do destino.

Lugar de olhos… de luas aos molhos!

Relógio de pulsares cadentes.
Eclipses transcendentes.

Ausência como um buraco negro,
feito de um funil de gentes a poluir os céus da Terra.

Fogos de guerra e fado… sombras onde nada existe.

Beijo triste.
Sombras enraizadas nas sombras.
Barcos de nada a polir os chãos da alma.

Seios fartos de fome… veios de nome torto.
Gritos sepultados na imortalidade do pó morto das pedras.

Gelo que passa ardente… rente à destruição do mundo.

Como um pente de lodos
que de repente penteia a teia do profundo.

Palavras que na solidão se juntam às palavras.

Incêndios cujas chamas ditas por lágrimas indominadas
queimam o final de todas as tardes.

Contra a corrente,
vão quebrantados os remos do pensar
cuja canoa arde à toa entontecida por amar.

.
.
.
.

Submited by

domingo, setembro 2, 2012 - 20:02

Poesia :

Your rating: None (3 votes)

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 6 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 37.005 06/11/2019 - 09:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.617 03/06/2018 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.222 02/28/2018 - 17:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.143 02/10/2015 - 22:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.990 02/03/2015 - 20:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 4.009 02/02/2015 - 21:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.688 02/01/2015 - 22:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.688 01/31/2015 - 21:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.424 01/30/2015 - 23:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.831 01/30/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.263 01/29/2015 - 22:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.365 01/29/2015 - 19:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.633 01/29/2015 - 01:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.833 01/29/2015 - 00:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.178 01/28/2015 - 21:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.872 01/27/2015 - 22:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.752 01/27/2015 - 16:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.755 01/26/2015 - 20:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.921 01/25/2015 - 22:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.560 01/22/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.466 01/21/2015 - 18:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.389 01/20/2015 - 19:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.426 01/19/2015 - 21:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.754 01/17/2015 - 23:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.663 01/16/2015 - 20:47 Português