CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

(análise das minhas criaturas) A Melancolia do Escaravelho

Sobre os meus (não meros) personagens: uma análise de criação

F. é uma mescla de duas realidades: uma sempre futura e distante, a outra, passada e intransponível. Todas reais, mas imaginadas. E a força de sua pele domestica minha alma diariamente, pois meu corpo todo e minha mente são estampados por suas palavras, pelos seus anseios, pelo seu canto de ausência e de encontro.

Eu, como também uma (não mera) personagem, sou o ponto de impacto de F., o momento em que as coisas surgem e o espaço em que elas podem viver. Às vezes sou seu contraponto, mas posso ser também o ambiente em que F. reina e se funde, ou mesmo a extensão de si e de seus atos. Posso me permitir sem aceitar julgamentos.

F. vive uma vida normal – diferente de mim. Mas possui igualmente uma vida oculta - vive a sua sanidade dentro de um espaço apropriado para ela e a loucura deixa vir nestes momentos de solitude. Estou, por vezes, na sua solitude. F. quer sempre fugir para uma destas esferas. Eu vejo seus passos com atenção e certo sadismo, confesso. Mas o compreendo inteiramente. Apesar de não participar de sua cortesia polida e socializada, tenho F. em todo o resto. Ele gosta dos holofotes, do brilho, da bebida paga, do cortejo de corpos, dos títulos, bem como parece se esquivar para um momento onde a fera que há em si precisa sucumbir e retornar. Há, sim, timidez em F. – o que o faz ainda mais interessante.

Dentro de F. há uma fera - antes que eu esqueça de me aprofundar – dentro de todos nós, afinal! E me aproximo da fera que F. é durante as tempestades noturnas que carrega em sua alma. Vivemos a fuga dele e o meu sempre retorno de mim. Alongamos os corpos num mar de palavras, de imagens, de sussurros, de mutações. Como o ópio, a fera de F. me faz queimar. Como a chuva compassada no seu rosto, o faço viver um pouco além de suas superfícies.

F. me tem nas mãos apenas nos momentos em que se subtrai do mundo comum. O seu comum eu observo com certa náusea. Há admiração de F. longe de mim e até dói quando o vejo (in) diferente, mas o aceito, porque o admiro. Lá, no “longe”, F. não é tangível. No “longe” talvez F. não me aceitasse – seriam apenas os sorrisos de sempre e nos manteríamos em águas rasas.

Mas há ainda as tardes quentes, há o ar puro travado dentro das vias nasais na ausência de amarras. Há estouros e bombardeios de ideias no gosto da saliva viva, nos dentes cravados nas várias partes do dorso, no frio da rocha abaixo de mim – que me escora em cada pulso vindos dele. Há seus olhos jamais calados e os significados disso tudo ofegados na altura do meu consentimento.

Se amo F.? Não sei ainda destas complexidades. Amo F. a minha maneira, eu acho. Amo seus braços, sua respiração, o cheiro da sua pele. Amo a ideia que me contamina. Amo seu gosto estrangeiro. Mas não penso sobre o amor: com F., eu vivo o que sou, o que ele é e o universo que compartilhamos. Ainda não penso se F. me ama – não me interessa ainda esta estranheza. Com F., vivo a criação e a criatura ao mesmo tempo, quando o criador me é internalizado – vivo a criatividade. F. me faz observar o que me atrai e sua ausência. É alguém que ainda me modifica sem querer me anular.

Submited by

quarta-feira, abril 28, 2010 - 08:22
No votes yet

Daisy_Lee82

imagem de Daisy_Lee82
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 9 anos 48 semanas
Membro desde: 02/25/2010
Conteúdos:
Pontos: 360

Comentários

imagem de Daisy_Lee82

Re: (análise das minhas criaturas) A Melancolia do Escara...

Personagens= Eu (1a pessoa narrando) e F.
*não confundam eu com Eu...

imagem de Mefistus

Re: (análise das minhas criaturas) A Melancolia do Escara...

O desdobrar da intensidade no conhecimento do âmago de quem ocupa os seus tempos literários.
Imprescindivel para o devido acompanhamento de certos excertos seus.

Gostei de mergulhar em seus escritos, uma vez mais!

imagem de Daisy_Lee82

Re: (análise das minhas criaturas) A Melancolia do Escara...

Obrigada, Mefistus!
Suas palavras me ajudam a compor sempre um olhar a mais!

Bjs

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Daisy_Lee82

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Perfil 1087 0 1.066 11/24/2010 - 22:09 Português
Videos/Perfil 1086 0 811 11/24/2010 - 22:09 Português
Videos/Perfil 1028 0 899 11/24/2010 - 22:08 Português
Videos/Perfil 1022 0 985 11/24/2010 - 22:08 Português
Videos/Perfil 1021 0 919 11/24/2010 - 22:08 Português
Videos/Perfil 1020 0 951 11/24/2010 - 22:08 Português
Fotos/ - 3297 0 1.110 11/23/2010 - 23:54 Português
Fotos/ - 3298 0 1.117 11/23/2010 - 23:54 Português
Fotos/ - 3150 0 1.128 11/23/2010 - 23:54 Português
Ministério da Poesia/Geral Escolha 0 951 11/19/2010 - 18:25 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Inversão 0 763 11/19/2010 - 18:25 Português
Ministério da Poesia/Erótico a brasa e o momento minuncioso 0 962 11/19/2010 - 18:25 Português
Ministério da Poesia/Geral Exist (persis) tência 0 892 11/19/2010 - 18:25 Português
Ministério da Poesia/Erótico Lussuria* 0 1.111 11/19/2010 - 18:25 Português
Prosas/Outros pedido 2 774 05/08/2010 - 00:41 Português
Poesia/Dedicado Semi-diálogo 6 681 05/03/2010 - 17:08 Português
Poesia/Dedicado espera... 3 820 05/03/2010 - 17:01 Português
Poesia/Geral poesia-conceito 1 786 05/02/2010 - 16:04 Português
Poesia/Intervenção Ata-me (excerto) 1 944 04/29/2010 - 18:24 Português
Poesia/Geral FEBRE 8 825 04/28/2010 - 08:56 Português
Prosas/Ficção Cientifica (análise das minhas criaturas) A Melancolia do Escaravelho 3 757 04/28/2010 - 08:37 Português
Poesia/Pensamentos (des) palavra 1 721 04/13/2010 - 19:56 Português
Poesia/Geral Certeza 1 723 04/13/2010 - 13:33 Português
Poesia/Meditação desgaste... 3 1.011 04/05/2010 - 17:12 Português
Poesia/Geral Atenção 10 746 04/01/2010 - 21:02 Português